Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




« A Beleza e Riqueza da Linguagem do Povo »

por Cristina Ribeiro, em 21.01.13
" Nas aldeias do norte d'esta nossa terra pittoresca de linguagem, algumas vezes perguntava eu quantos anos tinha tal velhinho, e não entendia esta resposta: « já passa de dous carros ». Vim depois a saber que lá se contam os anos a quarenta por cada carro, por analogia com o carro de pão de quarenta alqueires. " 
Camilo Castello Branco, « Novellas do Minho »

Ainda hoje é assim; pude comprová-lo há tempos, quando à minha pergunta o António respondeu: faço um carro. Teve de me explicar por miúdos o que era isso de " fazer um carro ".

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:48


5 comentários

Sem imagem de perfil

De Duarte Meira a 21.01.2013 às 18:31


Que grata surpresa, de saber ainda viva a saborosa expressão!

Era um estudo bem oportuno a fazer: - um inquérito de campo a ver quantas daquelas expressões populares de Camilo,  Aquilino ou de Tomaz de Figueiredo ainda persistem na boca ou na memória do povo; ou quantas não há que, velhas ou novas, nem eles nem os dicionários  (como o "Dicionário falado", do nosso grande Tomaz) chegaram a registar.
Seria também um teste precioso para aferir da vitalidade da Língua e, portanto, da sociedade e do povo que a fala...

Um estudo bem preciso, se os nossos académicos filólogos se decidissem a deixar os seus laboratórios de "linguística computacional" e viessem para o terreno...

(Já agora aproveito para, em troca, dar à Cristina uma expressão que colhi em certa obra de Aquilino e que nem mesmo o erudito que se deu ao trabalho de fazer um vocabulário sobre a obra dele registou. Sabe a Cristina, ou algum dos leitores, dizer-me o que é um "cara-unhaca" de sujeito? Será um regionalismo beirão, que não se conhece no seu pátrio Minho, ou a Cristina já o terá ouvido por lá ?

E, já agora, outra, de Camilo, para a qual nunca encontrei uma explicação precisa: a expressão exclamativa "Cruzes e santo breve da marca!", que ele utiliza algures. Julgo que faz referência a determinado sítio da cidade do Porto, onde haveria uma ermida ou oratório de algum santo, e que teria a ver - a Marca -  com referenciais para a navegação que demandava a traiçoeira barra da Foz. Talvez algum dos nossos amigos portuneses deste ES o saiba. )
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 21.01.2013 às 19:45

É que nem conheço nenhuma das duas, Duarte. Vou tentar, mas se nem o Duarte as encontrou... Que interessante seria esse estudo que refere! 
Cá na aldeia, a cada passo se ouve suculentas expressões, normalmente ouvidas a pessoas mais idosas, mas que, por vezes - como neste caso, já que o António fazia 40 anos -, passam para os filhos menos dados ao " bué " e coisas similares :)
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 21.01.2013 às 19:52

Ah! Encontrei uma referência a " cara- unhaca ": 
1.indivíduo pronto para tudo
2.boa pessoapessoa leal
3.bom companheiro, bom amigo

Image

Sem imagem de perfil

De Duarte Meira a 21.01.2013 às 23:35

Admirável Cristina:

Não se importa de me dizer em que dicionário?... E tem mesmo hífen?... Muito obrigado. Só tinha encontrado "cara-unhada", no Dicionário das Expressões Populares, de Guilherme Simões, entre outros. E esta expressão compatibiliza-se mais com os significados que me dá, e é possivelmente um plebeísmo derivado daqueloutra expressão "ser unha com carne"

Mas Aquilino escreveu mesmo  "cara-unhaca" (se não é gralha) que não aparece nesse noutros dicionários que na altura consultei; se lembro bem, aparecia num contexto pejorativo, em que malsoante palavra quadrava mais a indivíduo avarento, sovina, "unhas de fome".
Imagem de perfil

De Cristina Ribeiro a 22.01.2013 às 16:13

Duarte, ontem consultei o dicionário de Morais, mas só tinha à mão o concentrado; hoje fui ver ao grande, que acrescenta: pessoa que dá provas de amizade; e dá o exemplo que referiu - «...tanto eu como os meus seis cara-unhaças », Aquilino Ribeiro
Com hífen.


Vi também " unhaça ", e este termo é que pode ter significados muito diferentes:
 - pessoa amiga, íntima
- pessoa sovina, somítica.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas