Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Lisboa Arruinada: "l'Ãbaçade de Ferronce"

por Nuno Castelo-Branco, em 25.01.13

 

Este casarão já viveu melhores tempos. Antiga residência real, foi também casa dos marqueses de Abrantes. Nela encontra-se hoje instalada a Embaixada de França que pelos vistos, também joyeusement marcha ao passo daquilo que a Câmara Municipal de Lisboa e os gestores do nosso património permitem.

 

Diz-se que o interior é feérico, cheio de preciosidades. O pior é a cobertura, o glacé deste apetitoso bolo urbano. A fachada encontra-se num estado affreusement vergonhoso. Reboco a despegar-se dos muros, musgo por toda a parte, cantarias deterioradas, as janelas evidentemente empenadas, com a pintura descascada e pior ainda, desirmanadas (ver na foto, a quarta janela, possivelmente já muito malinianamente "aluminizada" e de desenho diferente das demais). O aspecto é péssimo, aparentemente blasé, très decadent, enfim, um  edifício que perfeitamente se coaduna com a utilitária e revolucionária expressão de 1793: um ci-devant palácio.

 

Será mesmo isto "l'Ãbaçade de Ferronce"?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:00


1 comentário

Imagem de perfil

De João Távora a 25.01.2013 às 16:15

O meu avô José ainda lá viveu. 
Pena que o exterior esteja neste estado. Os interiores e os jardins têm sido muito bem preservados, sou testemunha disso. Parcialmente alugado no final do século XIX foi definitivamente vendido em 1917 ao Estado Francês, tendo sido salvaguardada para a família a "tribuna familiar" sobre o altar na Igreja de Santos o Velho com serventia do Palácio
Foi publicado no ano passado um belo livro de mesa com a história do Palácio de Santos, tendo-nos o Sr. Embaixador gentilmente cedido um exemplar. 
Abraço

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas