Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Portugal, séc. XXI...

por Pedro Quartin Graça, em 25.02.13

...E, em estúdio, um exemplar de Cro-Magnon debitando sobre a inutilidade para a economia nacional dos licenciados em História e quejandos...

publicado às 15:43


18 comentários

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 25.02.2013 às 17:35

Quanto à lógica materialista tão em voga nas últimas sete ou  oito gerações, ele "tem razão": pintores, escultores, escritores ou filósofos não servem "para nada". 
Como seria eficiente e belo um mundo sem essa "escória". Como seria excelente podermos viver em cidades desenhadas por engenheiros - lembram-se das casitas Sókras? -, sem museus, sem praças com um D. Pedro IV ou um D. José no meio delas...


Espero que este trecho da entrevista esteja descontextualizado. 
Image
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 25.02.2013 às 18:38

A verdade é que não está. E fui eu colega deste senhor...já na altura percebi do que a casa gastava...
Sem imagem de perfil

De José Lima a 25.02.2013 às 17:49

Pelo fanatismo ideológico que lhe subjaz, a conversa deste taliban neoliberal lembrou-me um diálogo do livro "A 25ª Hora", da autoria de Constantin Virgil Gheorghiu, que li há longos anos. Neste, um comissário político romeno interrogava um sacerdote ortodoxo romeno em julgamento popular e perguntava-lhe:

- Para que serve um Padre?

E o mesmo comissário, sem esperar, adiantava a resposta:

 - Não serve para nada! Um Padre nem sequer um par de botas sabe fazer!
Sem imagem de perfil

De José Lima a 25.02.2013 às 17:55


Esqueci-me de um pormenor importante: o comissário político em causa, claro está, era comunista...
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 25.02.2013 às 18:38

Obrigado pelo valioso contributo!
Sem imagem de perfil

De zeca marreca a 25.02.2013 às 19:18

Sim, mas nesse aspecto um padre não serve para nada, a não ser para promover a introdução à sexualidade da rapaziada!
Sem imagem de perfil

De zeca marreca a 25.02.2013 às 19:20

... o que não é pouco diga-se... pelo menos para os católicos apostólicos romanos, que são os únicos pedófilos em todo o clero"
Sem imagem de perfil

De xico a 25.02.2013 às 19:53

Arranje um quarto, criatura. Se não arranja parceiro/a ao menos sempre se pode dar aos prazeres solitários sem ofender a moral pública.
Sem imagem de perfil

De zeca marreca a 25.02.2013 às 19:59

xico, vocemrcê é cura? está explicado o agit prop ecleseastico-abichanado!
Sem imagem de perfil

De xico a 26.02.2013 às 09:18

quem fala no barco quer embarcar...
Imagem de perfil

De Pedro Quartin Graça a 25.02.2013 às 21:05

 V.Exa não passa com esses insultos desprezíveis de uma criatura detestável "a quem o céu ainda cairá em cima".
Sem imagem de perfil

De zeca marreca a 26.02.2013 às 01:59

Insultos? Onde? Limitei-me a evidenciar a praxis da Santa Madre Igreja!
Sem imagem de perfil

De No pasa nada... a 26.02.2013 às 02:37

Sim, que na Casa Pia, no pasa nada...
Sem imagem de perfil

De Filipe Ramos a 25.02.2013 às 23:28

Este Camilo é um dos maiores lambe-cus do actual desgoverno. É impressionante ver ao estado a que este País chegou e onde os canais de TV dão tempo de antena a parasitas desta laia. Este País mete nojo.
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 26.02.2013 às 09:01

Em 75, estava num autocarro com a minha mãe e naqueles tempos de efervescência "revolucionária", umas mulheres iam comentando o que viam: ..."olha para esta estátua, o dinheiro que se gastou nesta merda! Deviam mandar derretê-la e construir casas para o povo!"


Era a estátua de Pombal, ali para o topo da Avenida. Por sinal, o mesmo Pombal que "construiu muitas casas". 


No fundo, aquilo que Camilo Lourenço disse não anda muito longe daquilo que se ouvia na gloriosa Lisboa do PREC. 
Sem imagem de perfil

De José Lima a 26.02.2013 às 09:52


Este Camilo personifica o materialismo mais rasteiro e chão da nossa época: simboliza a passagem da economia de simples realidade acessória ao serviço de realidades superiores para um fim em si mesma, encarnando o triunfo do "negócio" sobre o "ócio" no sentido que os clássicos - e ainda a Idade Média - davam a estas palavras. Se o mesmo não fosse um bárbaro notório e um evidente analfabeto funcional, em espírito quase tão boçal como um  qualquer pato bravo suburbano, far-lhe-ia bem ler um filósofo como Joseph Pieper, far-lhe-ia bem tomar contacto com algo para além da vulgata neoliberal mal lida e pior digerida.
Sem imagem de perfil

De Filipe Ramos a 26.02.2013 às 11:00

De facto seria uma das soluções a adoptar -  Derreter Camilo e seus seguidores, pela responsabilidade que têm no actual estado do País.
Sem imagem de perfil

De lj a 15.04.2013 às 11:17

O soba: http://i47.tinypic.com/2njvx9c.jpg

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas