Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Soares disparou, e saiu asneira da grande

por João Pinto Bastos, em 12.04.13

Soares falou. E quando o pai-da-fundação-custeada-por-todos-nós fala, a probabilidade de ouvirmos um disparate tonitruante é, efectivamente, enorme. Pelos vistos, o mentor da capitulação de Sócrates perante o FMI anda a falar com gente dos partidos da coligação com o objectivo de derrubar o Governo. Isto não vos soa a golpismo? É que em qualquer outro país, que seja democrático e civilizado, afirmações destas já teriam dado lugar a um grande bruáaa. Mas estamos em Portugal. Sim, o problema é esse, estamos em Portugal. E neste país o realismo mágico domina e escavaca tudo. Mais: se Soares tivesse um pingo de vergonha na cara não abriria mais a boca, nem sequer para propor coligações entre a esquerda. Podemos estar muito mal, e, de facto, estamos, mas com gente desta na oposição é melhor não arriscar. O país e o regime não aguentarão muito tempo com elites tão desconchavadas.

Tags:

publicado às 16:58


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Isabel Metello a 12.04.2013 às 18:58


Concordo em absoluto consigo- li uma manchete sobre a ordem ditatorial, mas nem abri o link para a notícia- por que será?! É tudo tão previsível, que já só me limito às constatações inevitáveis! É tipo: "quero, posso e mando que o Governo caia", desde o começo, desde o 1º dia em que este tomou funções e, principalmente, quando a questão das fundações e das reestruturação das autarquias foi abordada...Por que será?! Até penso que cheguei a ouvir (digo-o assim, porque há vozes das quais fujo, pois ando com os ouvidos e o olfacto muito sensíveis e tudo me cheira a esturro há muito tempo...) a Ana Gomes a afirmar que o PS deveria ficar no Governo sem eleições (?!)...Qual será o conceito de democracia desta gente?! E o resultado da moção de censura?! Que haja uma remodelação de certas políticas, nomeadamente quanto à pensão dos reformados (que julgo, de facto, inconstitucional), ok, que haja um ataque a sério às PPPs, fundações e juntas da mula da cooperativa, isso sim, que o Ministério das Finanças fiscalize a sério as despesas dos demais (fantástico e lógico!), mas já detínhamos uma credibilidade externa (que muito se deve ao Ministro da Economia, que "pensa fora da caixa" da "piroseira da piolheira" (usando um título do HM no EET :), que foi afectada não só pelas greves autocentradas de gente que ganha acima da média, em sectores primordiais para o regular desenrolar da vida em sociedade (greves que tiveram consequências gravíssimas- a inflação do desemprego, a falência de empresas, a descredibilização de outras ao nível das exportações e subsequentes despedimentos...), como ao nível da imagem do país ao nível de um sector fulcral para o seu desenvolvimento- o turismo! Agora, como é que este povo vai atrás de vozes autocentradas é que eu ainda me espanto! Foram décadas de modelação por micro-narrativas (a propósito, Sócrates deve ter lido alguém das Ciências da Comunicação, pois usa-se muito o termo "narrativa" nesta área, para além de se aprender a clara distinção entre locutor (es) e enunciador (es)...:) facciosas muito convenientes, logo, "a piroseira da piolheira" sacraliza o Sr. "descolonização exemplar", vítima de um exílio de luxo (fórmula que quis aplicar ao discípulo, para voltar como D. Sebastião, mas lixou-se- está-se a esparramar a todo o comprido, principalmente com aquelas incongruências das contas, pelo que se lê nos media! E este país é tão engraçado que teve de ser um agricultor a apanhar os cheques- nem se precisa de muita imaginação para criar guiões de stand up comedy :)))

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds