Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




A capitulação

por Pedro Quartin Graça, em 16.04.13
A desaparecida árvore de Natal da Grand Place
"Bélgica elimina los nombres cristianos de las vacaciones escolares

Desde ahora la comunidad francófona de Bélgica ya no tendrá vacaciones religiosas en los colegios, aunque seguirán siendo festivos."

O Governo da comunidade francófona da Bélgica deu mais um passo na remoção de qualquer elemento cristão ainda existente na sociedade belga. Esta administração, governada pelo Partido Socialista, usou o período de férias escolares para fazer "reformas", excluíndo os feriados religiosos, isto depois de, meses atrás, ter sido expurgada a tradicional árvore de Natal na Grand Place, em Bruxelas.

Neste momento, os 25 por cento dos habitantes de Bruxelas de origem muçulmana impõem-se aos 75% de outros credos, sendo que, em 2010, o nome mais comum para recém-nascidos na capital foi o de Mohamed (!).

 

Confira esta chocante situação aqui.

publicado às 15:41


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 16.04.2013 às 19:54

Deve ser uma conspiração para surgirem muitos nazis em toda a Europa. Estão abrincar com o fogo, daqui a nada vão ver como é. Depois não se queixem.
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 17.04.2013 às 22:57


Errado, os maçons estão a impôr-se aos outros todos, porque esses tarados, que têm umas crendices muito, muito maradas, acreditam que estes anos lhes são, crenditicamente, propícios (os tarados islâmicos só lhes vão dando jeito para aingirem o seus fins, um dia destes rebentam com eles todos e ainda vão dizer que têm muita razão).

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas