Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Coisas simples que muita gente parece não entender

por Samuel de Paiva Pires, em 21.04.13

Viriato Soromenho Marques, "O Estado social da Europa de Merkel":

 

«Até o chanceler Bismarck, conservador e antissocialista, teria vergonha desta "Europa alemã", baseada na criação da discórdia e da inveja entre os europeus, com base na desinformação, promovendo o aumento da pobreza e a concentração da riqueza dentro de cada país da Zona Euro. Bismarck, muito pelo contrário, foi o pioneiro do Estado social moderno com as suas leis de 1883 (seguros de saúde), de 1884 (seguro de acidentes de trabalho) e de 1889 (seguro de velhice e invalidez). Schröder iniciou o desmantelamento dessa herança de uma política de responsabilidade social do Estado, iniciada por Bismarck. Merkel, por seu turno, pretende agora levar essa política ativa de desigualdade social ao maior número possível de países europeus. Os europeus não se devem deixar enganar. A ameaça para a paz e a prosperidade europeias não está no lado de lá das fronteiras. O perigo vem de dentro. Das elites incompetentes e egoístas - e dos burocratas que as servem cegamente, como o ministro português Gaspar - que a degradação das nossas democracias representativas segregou como uma perigosa doença. Os que querem destruir a herança de Bismarck arriscam-se a despertar, na Europa inteira, o fantasma de um marxismo de legítima defesa.»

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:53


4 comentários

Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 22.04.2013 às 01:51

Ao que chegámos! Agora chega ao ponto de evocar o benfeitor social Bismarck. Dentro de dias Soromenho justamente também puxará pelos galões de SM o Kaiser Guilherme II, outro conhecido precursor do Estado Social. Soromenho fa-lo-ia com toda a razão, há que dizê-lo. No entanto, a Alemanha da pérfida Sra. Merkel contrata enfermeiros, médicos e pessoal auxiliar emt toda a Europa, garantindo assim o bom serviço de saúde do seu país. Os sindicatos estão tranquilos, compreendem a necessidade da poupança e a moderação das reivindicações, pois ainda têm bem presente um certo passado que bastantes agruras trouxe à Alemanha. 
Em suma, temos uma Alemanha desmilitarizada, boa cliente dos produtos dos seus parceiros da UE e principal livro de cheques da União, contribuindo para a viabilidade de um projecto discutível, é certo, mas que trouxe esperança à Europa. Todo este ruído em tom de chantagem, apenas oculta o insaciável apetite por mais e mais dinheiro - mutualizações eurobonds, garantias BCE, etc, etc - , os tais cheques em branco passados a ineptos governantes portugueses que nos touxeram a esta situação. Quanto aos nossos comparsas da UE, isso será um outro assunto de segunda categoria para o que nos interessa. 
Sem imagem de perfil

De kkk a 22.04.2013 às 09:29


como assim o perigo não vem de fora tambem?..a meia duzia deixa a merda entrar, mas a merda não saiu de dentro, ela veio de fora
Sem imagem de perfil

De kkk a 22.04.2013 às 09:30


marxismo

sim, e tu achas que a solução é matar mais 100 milhões em gulags..kkk
Imagem de perfil

De monge silésio a 22.04.2013 às 14:48


Isto são coisas do cds.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas