Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Música no Coração

por Fernando Melro dos Santos, em 22.04.13

Entrevista de Miguel Gonçalves ao i, hoje. Uma prestação surpreendente (para mim) de alguém por quem não daria, aquando da sua apresentação, a ponta de um corno e agora aparece a falar assim. Não tarda nada aparece algum indignado a apodá-lo de jovem fascista a soldo do poder.

 

Ao ouvi-lo, fica a sensação de que o desemprego é um problema individual e não estrutural.

Não é isso que eu considero. É exactamente o oposto. Não considero que o problema é teu, considero que a solução é tua. É muito diferente. Eu não considero que o problema do desemprego é dos desempregados, estou a dizer é que a solução para o desemprego é dos desempregados. Essa é que é a grande diferença. E, se calhar, pode chocar dizer isto, mas muitos dos que estão desempregados, estão desempregados porque, ponto número um, não querem trabalhar e, ponto número dois, são maus a fazê-lo.


Isso também é uma generalização.

Pois é, mas eu tenho uma pasta na minha caixa de correio que tem muitas dezenas de emails de pessoas que, se continuarem com aquele comportamento, nunca vão entrar no mercado.


Que comportamento?

Recebes um email de uma caixa de correio que se chama xanitaloirinha79 @hotmail.com. O assunto é “FW: candidatura espontânea”, com x. um email cheio de erros ortográficos. Tu queres trabalhar com esta pessoa? Às vezes, as pessoas pensam que os desempregados são pessoas extraordinariamente focadas, profissionais, rigorosas, cheias de fibra, de atitude e competência. Não são. É mentira.


É por isso que não compreende os protestos de rua?

Eu compreendo os protestos de muitas pessoas. Não compreendo é os protestos de quem não é suficientemente bom, recusa-se a tornar-se bom e pensa que é responsabilidade dos outros elas tornarem-se boas. De repente, sempre que falamos de desemprego, parece que nos esquecemos dos fenómenos das pessoas que vão às empresas pedir para carimbar no IEFP. Essas pessoas existem e são as milhares. Agora, se me disseres que há aqui uma fraude, há. Tu entras no sistema pedagógico dos três aos 23. Estudaste 20 anos, acabaste o curso e agora não consegues pegar num telefone e marcar uma reunião. Há qualquer coisa de terrivelmente perverso nisto.

publicado às 11:59


2 comentários

Sem imagem de perfil

De Vouga a 22.04.2013 às 22:30


Demagogia pura. Esse miúdo, se não tivesse sido usado pelo Relvas, provavelmente estaria a limpar retretes ou a fritar batatas no McDonald\\\'s da Baixa da Banheira.
Tantos jovens com valor e mais velhos com tanto valor e nada conseguem. Quando não há o papá do PSD ou o amigo Maçon, o resultado é triste. Fernando, esta é uma das artimanhas e instrumentos utilizados pela direita liberal que nos tem governado. O Fernando identifica-se com essa gente? Pensei que não.
Sem imagem de perfil

De VH a 23.04.2013 às 17:29

É idiota, é o que é!
Este tá perfeito para um país tipo... Estados Unidos. Tem o registo certo. Excelente para uma seita.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas