Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Secou

por Nuno Castelo-Branco, em 12.07.13

Não é possível esconder aquilo que todo o país já entendeu como irreversível: o regime da 3ª república está liquidado, é escandalosa e acintosamente incompetente, nefasto.

 

Escutando a presidência e as lideranças partidárias de estuporada cegueira que arrasta dez milhões de vítimas para uma situação cujo precedente já dista de perto de noventa anos, nada mais há a esperar desta gente. Não servem, são um insulto à liberdade da nação.

 

Haja quem de vez enxote esta insaciável coorte de marabuntas. 

publicado às 00:06


7 comentários

Sem imagem de perfil

De O Ingles a 12.07.2013 às 00:26

O problema esta na economia e nao no sistema politico. A politica portuguesa e como toda a politica existente no mundo inteiro, um pantano cheio de seres rastejantes. Os portugueses nao estao a conseguir gerar riqueza, pelo menos a maioria deles. Esse e o grande problema e o drama desta geracao. E um pais com poucas vantagens comparativas e pouca inteligencia inventiva. A juntar a isto tudo, a mentalidade e de ponderar o passado e encontrar razoes para nao fazer no presente. Uns vao se safando e outros morrem na praia. E pronto, e a realidade. O resto das politiquices que vcs tanto falam interessam especialmente para conversa do cafe, porque actualmente a verdadeira governacao ha muito que mudou de maos.
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 12.07.2013 às 00:41

Sabemos, ou pelo menos adivinhamos em que mãos se encontra a governação, precisamente na tal economia & finança que não tem caras ou vai a votos. Já percebemos.
Quando se observa que a "política" e a "economia" são indissociáveis, talvez então entendamos o que está a acontecer. Claro que seria mais prático nada se dizer e à volta da tal mesa do café gastarmos o nosso tempinho a imaginar cenários de lua de mel para o CRonaldo. e a Irina, pois "tudo está perdido e nada podemos fazer". Prático, não é?
Sem imagem de perfil

De O ingles a 12.07.2013 às 12:58

Penso que cada vez mais  os portugueses devem exigir uma separacao formal e material entre a economia (no seu sentido  lato) e o aparelho politico, isto e, o aparelho a quem cabe gerir a estrutura das funcoes primarias e apenas primarias do estado. Uma injecao de certos aspectos da doutrina neoliberal faria maravilhas para o mercado portugues e para a propria mentalidade do povo. Os portugueses precisam de partir para o ataque, e nao estar constantemente a jogar a defesa, constantemente a reagir em vez de agir. Isto e uma crise de divida publica, porque e que a populacao tem que pagar pela gula do monstro? A ideia do socialismo oferecer uma plataforma equitativa para a sociedade e simplesmente incorrecta, e o que estamos agora a observa e o falhanco de uma politica estatal, simplesmente isto. As coisas nao correram bem, mude-se a estrategia.

p.s - Ja agora, nao entendo a postura de desistencias de alguns politicos portugues. Estao dois anos no governo e depois desistem? Isto e inaceitavel. Desistir e inaceitavel. Qualquer politico que desista nestes moldes deveria ser interdito de exercer qualquer tipo de cargo publico no futuro.
Imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 12.07.2013 às 15:34

Anda no ar um ventinho de loucura colectiva. Num país onde o Estado é um aspirador de recursos e pior ainda, controla quem deve ou quem pode ganhar dinheiro à conta dos pagadores de impostos, os socialistas todos eles, com ou sem foice e martelo - berram "neoliberal!", como se tal estupidez minimamente correspondesse à verdade. Pois é precisamente o oposto aquilo que tem esmagado o país. A partidocracia aliada à economia e finanças - numa interdependência torpe e que historicamente já matou por uma vez o regime liberal -, impede a modernização do Estado e a libertação da sociedade civil. Ninguém é proprietário de coisa alguma, pois as taxas, contribuições, IMI, etc, são de molde a cercear a iniciativa privada. Quem investirá num país que jamais teve uma política fiscal estável, sempre em alta devido ao vórtice devorista do Estado? 700.000 funcionários públicos? Será absurdo demonstrar este mesmo absurdo? Se a isto juntarmos a irrisória taxa de natalidade, o envelhecimento da população e o estiolar do investimento que cria emprego, o cenário fica completa. Os suicidas insistem na receita caduca, talvez sonhando na inevitabilidade de uma ditadura miserabilista como algumas ainda sobreviventes em mornas águas do hemisfério ocidental. É patético.


O que este governo até agora tem mostrado, é precisamente o oposto do negregado "neoliberalismo".  Não se trata de um equívoco de quem aponta o dedo: querem ainda mais e mais. Não sei como poderemos impedir este desastre. Aliás, a colocação de uma barreira à destruição do chamado Estado Social, implica precisamente a agilização da sociedade civil e a redução da despesa do estado que existe para proteger quem menos pode. Será difícil entenderem isso? Pelos vistos, é. 
Sem imagem de perfil

De Duarte Meira a 12.07.2013 às 22:47


Caro Nuno Castelo Branco:

O "ventinho de loucura colectiva" é o ciclone que, de 74, ainda não deixou de soprar sobre nós. Vê-se nos mínimos pormenores, como a berrata de ontem, que já teve ocasião de comentar justamente.

Mas, note bem, já não há nenhuma 3ª República. Acabou na miserável indignidade, em 12 de Junho de 85, e, de facto, em 1 de Janeiro de 86. O que temos hoje é um instável departamento do Império Europeu, em processo de estabilização germânica.

É por isso que não haverá nenhuma daquela varredura de que fala, e há anos se impunha já. Estamos atados de pés e mãos e mudança, a longo prazo, tem de ser de outra ordem.
Sem imagem de perfil

De monge Cassiano a 12.07.2013 às 01:31

A salvação de Portugal não está no tal governo de "salvação nacional". Está na mudança deste regime, que nasceu no sangue de inocentes, e que só tem trazido dor e desgraça ao País, para o regime da raiz da História de Portugal, a Monarquia !
Sem imagem de perfil

De pvnam a 12.07.2013 às 09:48

---> Andam por aí muitos'globalization-lovers' NAZIS: eles buscam de forma incessante pretextos... para negar o Direito à sobrevivência das Identidades Autóctones.
{nota: nazismo não é o ser 'alto e louro'... mas sim a busca de pretextos com o objectivo de negar o Direito à Sobrevivência de outros!...}
.
-> PNR´s e afins… ANDAM A DESPERDIÇAR TEMPO MUITO PRECIOSO PARA A SOBREVIVÊNCIA!
---> Antes que seja tarde demais, há que mobilizar aqueles nativos europeus que possuem disponibilidade emocional para abraçar um projecto de Luta pela Sobrevivência... e... SEPARATISMO-50-50! (http://separatismo--50--50.blogspot.com/)
.
.
P.S.1.
--- Os nazis 'globalization-lovers'/(anti-sobrevivência de Identidades Autóctones) buscam pretextos... para negar o Direito à sobrevivência das Identidades Autóctones.
--- Pelo contrário os separatistas-50-50 não têm um discurso de negação de Direito à sobrevivência de outros... os separatistas-50-50 apenas reivindicam o Direito à Sobrevivência da sua Identidade! (obs: os 'globalization-lovers' que fiquem na sua... desde que respeitem os Direitos dos outros... e vice-versa)
.
P.S.2.
--- Andam por aí muitos 'nacionalistas' a mandar areia para cima dos olhos de otários… leia-se, adoram falar em 'fait-divers'… desviando as atenções daquilo que é essencial: uma ESTRATÉGIA DE LUTA PELA SOBREVIVÊNCIA da Identidade!
{nota: uma NAÇÃO é uma comunidade duma mesma matriz racial onde existe partilha laços de sangue, com um património etno-cultural comum. Uma PÁTRIA é a realização de uma Nação num espaço}
.
P.S.3.
--- Para sobreviver Portugal precisa de um Movimento que 'corte' (separatismo-50-50) com os «portugueses-do-prego» (leia-se, os portugueses que estão a colocar Portugal no prego).
De facto:
- os portugueses-do-prego não defendem uma estratégia de renovação demográfica - média de 2.1 filhos por mulher; [nota: os portugueses-do-prego 'dão musica' a parvinhos-à-sérvia... vide Kosovo]
- os portugueses-do-prego falam em despesa "não enquadrada" na riqueza produzida... e depois:
1- metem o país a fazer empréstimos… para pagar empréstimos;
2- vendem recursos estratégicos para a soberania... à alta-finança/capital-global;
3- após terem conduzido o país em direcção à bancarrota... começam a proclamar federalismo… (leia-se, implosão da soberania);
4- etc.
.
P.S.4.
--- Existem mais de 1200 milhões de chineses, existem mais de 1200 milhões de indianos, etc, etc, etc… e… existem Nazis-Democráticos!
--- Os Nazis-Democráticos insistem em acossar/perseguir qualquer meia-dezena de milhões de autóctones que defenda a sobrevivência da sua Nação/Pátria… leia-se: os Nazis-Democráticos pretendem determinar/negar democraticamente o DIREITO À SOBREVIVÊNCIA de outros…

Comentar post







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas