Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Alexandre Soares dos Santos, ontem à noite em entrevista à RTP (vídeo aqui).

No meio da enorme torrente de opiniões, leituras e prognósticos, o CEO da Jerónimo Martins é das vozes mais lúcidas e descomprometidas do país. Enquanto alguns vêem salvadores da Pátria entre as eminências mais ou menos pardas do regime que nos trouxe à actual situação, bom seria se outros valores, de fora do sistema, fossem aproveitados para o serviço do país. Mas a explicação para isto ser difícil de acontecer provavelmente está no título.

publicado às 12:22


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Duarte Meira a 12.07.2013 às 22:27


Caro João:

Era o que há quatro anos já dizia uma lúcida, veneranda e insuspeita personalidade, na entrevistaa que pode ver infra.

Por mim, digo que nunca realmente a tivemos. Apenas uma promessa, na letra do Programa do MFA, de 1974, logo traída com o trágico abandono dos desgraçados africanos à guerra entre os imperialismos mundiais e as tribos locais. E o que temos tido por cá é, de facto, um oligopólio partidário - uma partidocracia - cuja propaganda tem motivado (cada vez menos) os eleitores à validação referendária do pessoal político dos partidos (ou controlado por eles). E isto para nada dizer dos outros partidos que, por trás da cena mediática, mais ou menos invisíveis aos eleitores, influenciam mais ou menos os partidos visíveis, sem precisão de sufrágios nenhuns.

http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=1208159&especial=A+revolu%E7%E3o+de+Abril&seccao=POL%CDTICA&page=-1 (http://www.dn.pt/especiais/interior.aspx?content_id=1208159&especial=A+revolu%E7%E3o+de+Abril&seccao=POL%CDTICA&page=-1)

Comentar post







Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas