Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Costa e Seguro lado a lado

por John Wolf, em 16.09.13

Ainda não tenho a certeza se a expressão - se não o conseguires vencer, junta-te a ele - serve de legenda para a fotografia tirada à dupla Costa-Seguro. Não sei bem em que direcção é que vai pesar o prato da balança. Será que os estrategas socialistas pensaram bem no que estão a fazer? Por uns instantes, li algo diverso na notícia: "O secretário-geral do PS, António José Seguro, estará no primeiro dia oficial de campanha para as eleições autárquicas, ao lado do presidente da Câmara de Lisboa, António Costa, na tradicional descida da rua Mário Soares". (eu que ando cansado li Rua Mário Soares em vez de Morais Soares). Realmente, tantos tesourinhos das autárquicas têm-me provocado visões, confusão - estou a perder a clarividência. Se o partido socialista faz tanta gala em fazer passar uma ideia de unidade interna, é porque precisamente o oposto estará a acontecer. Sabemos todos que se António Costa quiser arrumar Seguro, fá-lo-á em duas penadas, sem grande misericórdia - à político de barba rija. Neste swing político, de falsa troca de parceiros, não poderemos prever qual será o resultado final. Se Seguro levar uma grande castanhada nas autárquicas, Costa não poderá ser constituído arguido no processo de abandono de familiares à beira da estrada. Poderá afirmar categoricamente que esteve presente na hora difícil de Seguro. Por outro lado, o secretário-geral sabe que "nada feito" sem o encosto fraternal do presidente da câmara de Lisboa. Neste enredo não se trata de saber quem sai a ganhar e quem entra a perder. Seguro encontra-se em território apátrida - não pode ser considerado a alma carismática que os socialistas tanto precisam, mas também não se afasta para longe e para bem do partido. Seguro olha para Costa de um modo utilitário e apenas para alguns casos; somente para situações particulares que possam conceder uma espécie de vantagem relativa, e não para cima, como alguém que é garantidamente melhor que ele próprio e que merece admiração. Se Seguro tivesse dois dedos de testa e realizasse um exame de consciência já se teria sacrificado em nome de uma estratégia vencedora. Sejam quais forem os intentos de parte a parte, não há nada que possa ser determinado em sede de comissão nacional do partido socialista ou pelos rosas-sombra do aparelho. Veremos se a Declaração de Coimbra é de facto o manual de instruções para os dois anos que se seguem, ou se o guião será rasgado sem piedade. Para já sabemos que Seguro e Costa vão descer a rua lado a lado, em compasso acertado, sem que haja indícios de dianteiras ou atrasos na corrida de parte a parte. O que sobressai nesta caminhada é a forma despudorada como dentro do partido socialista o conceito de utilidade e oportunismo é recíproco. De qualquer modo, não podem sair todos a ganhar. Os resultados serão assimétricos. Neste primeiro round - Costa já marcou alguns pontos. 

publicado às 09:28







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas