Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Foi você que encomendou um estado?

por Samuel de Paiva Pires, em 12.09.08

Devidamente alertado pela minha amiga Inês Narciso, que preferia que eu tivesse dado a este post o título "Está tudo doido" (desculpa-me pelo não acatar da sugestão :p):

 

 

Eduard Kokoiti, Presidente da Ossétia do Sul, anunciou que este território tenciona juntar-se à Ossétia do Norte e integrar a Federação da Rússia.

«Sem dúvida que faremos parte da Rússia e não tencionamos construir Ossétia independente alguma, porque historicamente as coisas aconteceram assim, os nossos antepassados fizeram essa opção», adiantou Kokoiti, num encontro com os membros do Clube Internacional de Discussão «Valdai».

 

Para uma hora mais tarde, ao que parece, segundo a Lusa, devido a um alegado telefonema de Moscovo, alterar o discurso:

 

 

«Talvez não me tenham compreendido correctamente. Não tencionamos renunciar à nossa independência, que pagámos com um número colossal de vítimas, e também não pensamos aderir à Rússia», precisou numa entrevista à Interfax.

«Muita gente na Ossétia do Sul manifestou-se pela entrada da república na federação Russa e ninguém os pode proibir de defender essa ideia. Mas a Ossétia do Sul não tenciona entrar na Rússia, mas estabelecer relações civilizadas com todos os Estados em conformidade com o Direito Internacional», acrescentou.

 

Ainda gostava de entender qual é mesmo a interpretação correcta para a extremamente ambígua afirmação "faremos parte da Rússia e não tencionamos construir Ossétia independente alguma"...

 

Parece que o estratega Putin tem muito com que se preocupar quanto à falta de bom senso político-diplomático dos vizinhos...

 

 

publicado às 01:06


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds