Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Tomaz de Figueiredo.

por Cristina Ribeiro, em 27.03.08

"Morro de amor pelo meu pátrio Minho, pela vila dos Arcos, pela Casa de Cazares, onde a minha infância dorme, onde esperei, feliz envelhecer, escrevendo mais livros, sempre livros, onde cuidei morrer e, como Goethe, pedindo luz e luz, sempre mais luz, de janelas rasgadas sobre o Vez, sobre a fonte que jorra da carranca, sobre as minhas amadas laranjeiras.
Fausto, morro de amor pelos meus livros, pelos romances que pensei, fugidos, perdidos e sumidos... («Viagens no meu Reino» )

Dele diz João Bigotte Chorão: "Não era Tomaz de Figueiredo, como Raul Machado, um gramático, um filólogo, um erudito, um especialista- era um escritor, um cavador de palavras, um servidor do idioma. O que lhe faltaria em ciência académica, sobejava-lhe em intuição e amor..." e, no «Dicionário de Literatura», acrescenta David Mourão Ferreira: "Prodigioso evocador do passado, em verso e prosa, grande poeta da memória, Tomaz de Figueiredo consegue aliar a muitos rasgos temperamentais de raiz romântica uma disciplina clássica (...). Integra-se numa tradição tipicamente portuguesa da qual terá sido Camilo, antes dele, o mais alto expoente.

Pois bem, é este quase conterrâneo- nasceu em Braga, a 6 de Julho de 1902, embora bem cedo tivesse ido viver para Arcos de Valdevez-, que até há bem pouco tempo desconhecia. Foi-me "apresentado" pelo blogue Futuro Presente e, na resposta a um comentário, o autor do post aconselhou-me a começar a leitura da sua obra por «A Toca do Lobo»...; descobri então um escritor de mão-cheia, a quem, ainda nas palavras de Bigotte Chorão, "O instinto da língua, por um lado, e o seu trato com o falar do povo e a obra dos clássicos, por outro, deram um raro conhecimento do português, nas suas expressões mais populares e mais eruditas..."

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:47


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Nuno Castelo-Branco a 27.03.2008 às 14:33

Confesso o crime que roça o sacrilégio, de ter dado nos últimos anos, muito pouca atenção à nossa literatura. Vou procurar saber mais (sem ser pela net).
Sem imagem de perfil

De M. Santos Loureiro a 13.03.2009 às 07:51

Sou genro de Tomaz de Figueiredo. Se pretender saber mais àcerca da obra do escritor ou visitar, em Arcos de Valdevez, a sua casa-memória, a Casa de Casares, entre em contacto conosco.
Uma sugestão: fazer pressão sobfre a Camara de Braga para que faça alguma coisa quanto á divulgação da obra deste escritor - que nasceu em Braga!
Sem imagem de perfil

De M. Santos Loureiro a 27.03.2009 às 12:29

Para os apreciadores da obra de Tomaz de Figueiredo informo que,na colecção "VIajar com..." editada pela CAIXOTIM saiu um volume: "VIAJAR COM TOMAZ DE FIGUEIREDO"
Sem imagem de perfil

De cristina ribeiro a 27.03.2008 às 14:54

Vale bem a pena, Nuno! Uma delícia, muito camiliano, na grandiosidade do vocabulário e no construir muitíssimo bem as frases.
Obrigada por ter feito o link, Não entendo mesmo nada disto: limito-me a postar o texto.Quis colocar uma fotografia da Casa de Cazares, e não soube- ontem foi o meu sobrinho que pôs a da bandeira...
Está visto: temos de nos encontrar para me dar umas lições :)
Sem imagem de perfil

De Luísa a 27.03.2008 às 16:41

Parabéns, minha cara Cristina, pela sua estreia como blogger. Estive quase a rever as minhas – vagas… – convicções republicanas. :-D
Obrigada, também, por me despertar este interesse. As minhas viagens pela literatura portuguesa andam demasiado fechadas em percursos circulares.
Sem imagem de perfil

De O Réprobo a 27.03.2008 às 21:57

Eu gosto muito de T.F., quer como prosador, quer como poeta. Lembro-me de ter publicado um bom poema dele no «Misantropo...».
A Cristina viu a desgarrada satírica que ele despoletou contra Marcello Caetano e foi ontem deliciosamente narrada no «Manlius»?
Beijo
PS: Cristina, puxe um bocadinho daí, eu do outro lado e havemos de levar a Luísa para o bom caminho...
Sem imagem de perfil

De cristina ribeiro a 27.03.2008 às 22:13

Que diz desta "conspiração",Luísa? Olhe que o nosso lema é "Por Bem"...

Não vi, Paulo, mas ainda vou a tempo...
Beijo
Sem imagem de perfil

De nonas a 02.04.2008 às 03:34

Olá Cristina,
Decerto já descobriu o site do Tomaz de Figueiredo na net.
Aqui fica: http://www.tomazdefigueiredo.net/
Sem imagem de perfil

De M. Santos Loureiro a 13.03.2009 às 08:03

O site oficial de Tomaz de Figueiredo encontra-se em actualização.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas