Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Um dos problemas e a necessidade de o abordar.

por João Quaresma, em 15.09.12

«Em Portugal, a "cadeira do poder" também está vazia. O primeiro-ministro lidera o governo, mas não se elevou a líder do País.

Para liderar o País, PPC tinha de ter uma estratégia política clara e, infelizmente, até agora, não apresentou nenhuma.»

Joaquim Couto, no Portugal Contemporâneo.

 

«É importante realizar uma espécie de "estados gerais" da maioria que juntasse o PSD, o CDS e independentes. O Presidente convocou, e bem, o seu, o de Estado. Mas a maioria tem o dever indeclinável de redescrever politicamente a sua, como agora se diz, "narrativa" em fase de elaboração do orçamento para 2013, com novas medidas (discutíveis) anunciadas, perante as conclusões da 5ª avaliação da "troika" e por causa da Europa. A realidade é sempre mais rica e complexa do que qualquer "modelo" mais ou menos académico. E a política serve precisamente para debater isso - para prosseguir a conversa, e não para a fechar, que é uma bela ideia dos filósofos pragmatistas norte-americanos. Se alguma coisa boa resultou dos ruídos, falados ou silenciosos, dos últimos dias é que esta maioria democrática não é apologista do pensamento único. Encontrar-se consigo mesma, encontrar-se com o país e encontrar-se com alguns daqueles que, das esquerdas e das direitas ou independentes sem partido, possuem pensamento próprio, só pode fazer bem à coligação e ao governo.»

João Gonçalves, no Portugal dos Pequeninos.

publicado às 22:15

Da Agência Cubana de Notícias:

 

«Renueva Portugal acuerdo de colaboración médica con Cuba

 

La Habana, 30 abr (AIN) El ministro de Salud de Portugal, Paulo Macedo, exaltó en Lisboa la colaboración médica que brinda Cuba a su país, razones por las cuales acordaron renovar ese acuerdo bilateral, como parte de un convenio suscrito con la isla caribeña en 2009.

 

Durante un encuentro en la capital lusa con Eduardo González, embajador de La Habana, Macedo transmitió el agradecimiento de su gobierno por la labor que desarrolla una brigada de 44 galenos cubanos, de quienes destacó su dedicación y calidad profesional.

 

Indicó que la preparación de los especialistas de la nación caribeña ha sido encomiada por profesionales portugueses de la medicina, por el alto nivel de conocimientos que atesoran, cuestión que también -dijo- ha sido reconocido por la población, indicaron a Prensa Latina fuentes diplomáticas de la Isla.

 

Los clínicos cubanos prestan sus servicios en las sureñas regiones del Algarve y Alentejo, zonas rurales con una alta tasa de población y deficitarias de esa atención primaria.

 

Macedo informó al diplomático González que su departamento realiza un profundo estudio sobre el Sistema Nacional de Salud, con el objetivo de poder conocer con exactitud el número de doctores que requieren para cubrir todas las necesidades de atención a los ciudadanos.

 

La experiencia alcanzada por Cuba en el campo de la salud, con índices de primer nivel en el mundo, y la producción de medicamentos, vacunas y otros productos, algunos de los cuales el país está en condiciones de exportar, fueron otros de los temas abordados en la reunión por el representante antillano.

 

Tanto Macedo como el secretario de Estado Fernando Leal se interesaron en los avances científicos de la nación caribeña, y solicitaron más información para estudiar otras formas de cooperación y comercio».

 

Ah, os bons alunos de Bruxelas! Vinte cinco anos depois de aderirmos ao paraíso europeu, precisamos da ajuda cubana para prestar cuidados de saúde básicos aos indígenas das nossas províncias ultratejinas. É muito positiva esta cooperação com Cuba por parte do Governo Português: oxalá os políticos de Havana agora ensinem aos de Lisboa a fazer reformas no aparelho de Estado, e lhes expliquem que o Socialismo não funciona. Em troca, mandamos para lá a Assunção Cristas para lhes ensinar a fazer uma Reforma Agrária como deve ser. Daquelas em que o Estado rouba aos proprietários e depois arrenda a quem a União Europeia não deixa trabalhar.

 

 

PS. Será, de facto, uma excelente notícia se começarmos a importar medicamentos Made in Cuba, muito mais baratos que os das multinacionais. Venham eles que serão muito bem vindos, mesmo que o PCP e o Bloco de Esquerda acusem Cuba de praticar dumping.

 

E sim: temos razões para agradecer aos médicos cubanos. Devíamos era ter vergonha de estar a precisar deles.

publicado às 16:20

Uma péssima ideia: adeus, TAP

por Nuno Castelo-Branco, em 26.03.12

Não tenhamos ilusões, pois por mais promessas que os predadores associados British Airways-Iberia façam, o destino da TAP será o desaparecimento em poucos anos. Não contem com a renovação da frota, a abertura das anunciadas novas rotas e a manutenção dos postos de trabalho. A dar-se a fusão, serão apenas mentiras. O que lhes interessa? Apenas o saque das rotas africanas e sul-americanas. A prova? Deixando de lado outras aquisições - em Espanha, por exemplo - que ditaram a extinção de companhias, eles têm a clara pretensão de mascarem o miolo, deixando as côdeas duras de fora. As ditas côdeas compreendem algumas migalhas, mais precisamente os pilotos.

 

A gente do governo devia ter juízo quanto a este aspecto das "privatizações" a todo o custo e brida. Que pensem seriamente naquilo que a TAP representa para os portugueses, sejam eles de "esquerda" ou de "direita".

publicado às 15:45

Algo que agrada à direita mais pobre da Europa

por Nuno Castelo-Branco, em 24.10.11

Dado o alarido em boa parte da "sua imprensa e blogosfera", o governo vai fazer aquilo que se impunha, cortando nas desvairadas mordomias da casta privilegiada. Pouco importa se o Presidente gosta, não gosta ou encolha os ombros. Ideal seria uma declaração de guerra, com um veto ao OE. Ficavam todos esclarecidos acerca da sua ainda não anunciada "cooperação estratégica" e da "gestão de interesses".

 

Mas isto não pode ficar por aqui, muito mais há para fazer, criando-se uma mentalidade de serviço e não de extracção de benefícios. O governo pode começar por rever toda esta enorme lista de "Putarias" Público Privadas celebradas durante os anos da já citada "cooperação estratégica" e encontrar algum rabo de palha jurídico que lhes ponha termo.

publicado às 11:50






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas