Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Factor UV do IMI

por John Wolf, em 01.08.16

720x389_b81511ba3397c093cb006b73ede99050.png

 

O governo de Portugal está tão desorientado que já se guia pela boa ou má exposição solar. Faz sentido que apresentem esta novidade em plena época balnear. A maior parte dos portugueses está a banhos com o cu virado para a lua. Resta saber qual o factor UV do IMI. Deve haver aqui uma coordenação com o ministério da saúde. Ou seja, um T3 com varanda e sol a irradiar pela sala, é mais propenso a cancros da pele do que uma vivenda insalubre - isso deve ser levado em conta. E as caves húmidas não contam para atenuar a carga do novo IMI? E se a salinha de estar aquecer no Inverno, porque está exposta a Marte, não merece um desagravo? A conta do aquecimento de certeza que será mais baixa. E as roulottes de campismo viradas a sul? E olhar para o sol com um par de binóculos? António Costa e seus muchachos devem ter apanhado uma insolação das boas. Está tudo louco. Estão doidos. A neo-austeridade ainda nos vai surpreender muito mais.

publicado às 20:19


7 comentários

Imagem de perfil

De Milton Milíates (ctrocado) a 01.08.2016 às 21:11

... portugal a cair de maduro com tantos UV...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 01.08.2016 às 23:11

O seu comentário está genial! 
O "governo" apanhou sol na cuca e pirou de vez. É o fim de festa...
Sem imagem de perfil

De xico a 02.08.2016 às 08:38

Tenho por hábito ler a legislação através do que é publicado no DR e não nos jornais. Assim, pude constatar que o artigo 43º do CIMI não teve qualquer alteração no seu texto, mas somente no valor dos coeficientes de majoração e de minoração. Portanto se o Sol paga agora imposto é porque já pagava antes. Pode é pagar mais, mas o conceito já lá estava. Não houve qualquer alteração aos conceitos que já existem pelo menos desde 2006.
Imagem de perfil

De jojoratazana a 02.08.2016 às 16:12

Xico não diga isso desmonta o post do senhor, e revela a  total ignorancia sobre as leis do país.
Sem imagem de perfil

De Costa a 02.08.2016 às 22:49

Jojo, a verdade cristalina é esta: a austeridade não acabou e agrava-se. Eu não conto, não trabalho na função pública nem sou reformado. Na verdade não sou cidadão (nem "contribuinte", suave eufemismo com que me designam), sou impostado. Pago duramente as promessas feitas pelo governo à sua clientela política, os únicos grupos que são invocados no actual discurso do poder, desde logo pela boca da nossa primeiro-ministro não oficial mas muito poderosa.


E poupe-me por favor à retórica do incentivo ao ódio entre funcionários e não funcionários, entre novos e velhos. Mais não seja porque poucos anos me separam da reforma. Se a houver, quando chegar a minha vez. Mas as coisas são o que são, muito que você invente - e sonhe com poder impô-las - realidades à medida de ideologias. Da sua ideologia.


E mesmo esses grupos em breve perceberão a logro em que caíram (porque manifestamente só o percebem sofrendo-o). Que interessa ganhar 110 em vez de 100, se me tiram mais 30 (ou mais) em impostos. Nos directos (com as cínicas alterações no IRS), e nos indirectos? E não, não tenho do meu lado a possibilidade de direccionar o meu consumo por forma a contornar esse facto. Não a tenho quando a carga fiscal sobre quase tudo aumenta.


Mas desde que o governo seja de esquerda, tudo está bem. Tudo é bondoso na sua génese e aplicação.


Costa
Sem imagem de perfil

De nacionalista a 02.08.2016 às 19:36

Não tem vergonha de andar por todos os blogues a defender os chamuças ?
Estás mesmo catequizado pelo perdedor "poucochinho" ! Mas deve ser avença ...
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 02.08.2016 às 22:33

Certeiro o comentário relativo à legislação (CIMI). O que me parece visam é tentar compensar receitas que o actual governo está a perder, creio. Por outro lado, e aqui o aspecto porventura preocupante, seja-se de que cor partidária for e que rendimentos se tenha, julgo que está aberta uma janela enorme de subjectividade discricionária na ponderação da localização e operacionalidade.  E na esmagadora maioria dos casos, avaliação feita no gabinete da repartição de finanças. Tentem fazer simulação. António Cabral.  

Comentar post







Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas