Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Galambadavos

por John Wolf, em 27.01.18

1033-Migraine_Piercings-732x549-thumbnail.jpg

 

João Galamba começa a fraquejar. O seu discurso intransponível revela agora fissuras inegáveis. No léxico do porra-voz do Partido Socialista (PS) a palavra Austeridade fora banida, mas a sua substância e o seu teor mantêm-se. Mas há algo que não bate certo. Como é possível comprar os votos dos funcionários públicos em 2019 sem aumentar os seus rendimentos? Simples - com arrogância. A ideia de que o crédito da Geringonça é ilimitado e que aconteça o que acontecer em termos de regalias ou desbenefícios, as legislativas estão no papo. Decorre desta tese um outro género de fundamentação, do tipo central - como em bloco central. Os socialistas devem pensar que têm tempo que sobeja para aliar a sibila de Rui Rio ao caderno de encargos do PS e, deste modo, tendo suficiente maioria governativa, enxotar para o canto o Partido Comunista Português e o Bloco de Esquerda. Por outras palavras poderão passar de partido de inspiração anti-austeritário para outro que hasteia a bandeira do trabalhador-sacrificado. Esta conversa de "não aumentos na função pública em 2019" é uma tentativa de tirar o tapete ao social-democrata Rio. Se quiserem, mas sobretudo porque poderão ser forçados a fazê-lo, os socialistas poderão vir a ser ainda mais agrestes do que os seus inimigos viscerais de entranha liberal e progressista. Os socialistas da vaga legislativa de 2019 terão de ser diferentes do que aqueles que os precederam e se inauguraram em 2015. A geringonça 2.0 terá de ter um ADN substancialmente diferente daquele sacado a três a partidos. A realidade não é estática e a economia e as finanças são tramadas quando menos se espera. Não basta querer. Não basta discursar em Davos e desculpar-se do fraco domínio da língua inglesa. Venha de lá esse call-center da Google. Skiller engineers - diz o Costa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:55


1 comentário

Sem imagem de perfil

De Anónimo a 27.01.2018 às 19:38

Também notei a tentativa de moderar as reivindicações dos funcionários públicos em termos salariais... quem o viu e o vê mudar agora começa a suspeitar que de facto o cofre não permitia tirar tanto quanto se prometia 

Comentar post







Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2015
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2014
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2013
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2012
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2011
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2010
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2009
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2008
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2007
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas