Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Grotesco institucional

por Nuno Castelo-Branco, em 15.05.14

A visita presidencial a Pequim, foi inevitavelmente salpicada por ditos picarescos com concubinas pelo meio e uns tantos achados espirituosos por quem devia ter tento na língua. A China não é propriamente um daqueles episódios estatais surgidos nas últimas décadas. Acendamos um pauzinho de incenso, implorando para que por lá não se preocupem em traduzir  as pilhérias presidenciais.

 

A reportagem que a RTP transmitiu há poucos minutos, informou-nos de algo até agora completamente desconhecido, roçando o insólito: a Cidade Proibida é "o maior complexo presidencial do mundo!" Acreditei piamente ter sido mais uma daquelas patacoadas a que os pivots televiseiros nos habituaram, mas afinal a coisa veio na esteira de uma certeza veiculada por douta voz, nada mais nada menos do que a do Sr. Cavaco Silva. Erguendo as sobrancelhas e em tom peremptório, declarou isso mesmo: "a Cidade Proibida é o maior complexo presidencial do mundo!"

Depois das ordinarices, prepotências, regabofe orçamental, usos e abusos de Soares. Após a clara inépcia, patética choraminguice, dissolventes escarros na legalidade constitucional e fuga às obrigações de um qualquer Sampaio, agora temos isto, esta glabra calamidade ambulante, ainda por cima agravada pela sempre presente cônjuge. Evitem falar, caramba.

Não sei do que as forças armadas estão à espera para nos devolverem a legalidade institcional que a Portugal foi escabrosamente roubada em 1910. Basta!

publicado às 13:32







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas