Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Soares dá mais umas passas

por John Wolf, em 04.01.15

CIGARETTE_2696249b

 

Quem é Mário Soares? É esta a pergunta que deve ser colocada para estabelecer os limites da sua actuação. O ex-primeiro-ministro do governo de Portugal e ex-presidente da República Portuguesa é, para todos os efeitos legais, um mero cidadão igual a tantos outros. Se fosse socialista ter-se-ia apercebido dessa contingência de igualdade, liberdade e fraternidade. Mas não é esse o caso, julga que é maior que os demais. Pensa que ainda manda como mandou, e mal, durante décadas. Continua na política como quem joga à sueca, à bisca. Desafia Cavaco Silva a fazer isto e aquilo. Vilipendia a Justiça em Portugal ao declarar a inocência imaculada de José Sócrates e ao lançar suspeições sobre o sistema nacional de justiça. Não existem provas contra José Sócrates? E contra si? Não vos parece estranho que tantos camaradas tenham logo acorrido a Évora para abraçar o amigo. Pois. E durante a duração do encosto dos lábios à orelha houve tempo mais que suficiente para avisar o recluso para eventualmente não envolver mais gente na confusão. Se Sócrates dispusesse de armas de arremesso que envolvessem outras forças políticas, decerto que as utilizaria. Se o caso é político, como solenemente afirma, já teria arrastado colegas de outros partidos para a mesma vitrine da prevaricação, mas o homem não tem nada na mão. E Sócrates apenas tem amigos socialistas? Não aparece lá alguém do PCP, do PSD, do BE, dos Verdes ou do CDS? Pensava que a amizade nada tinha a ver com a cor da pele, da bandeira de um partido. Acho muito bem que comecem a distribuir multas àqueles que decidem interferir nas investigações, nos trâmites legais. Soares também se está a pôr a jeito para ser autuado.

publicado às 13:57


9 comentários

Sem imagem de perfil

De Makiavel a 04.01.2015 às 15:24

Que blog mais pífio!
Primeiro: Mário Soares não é um cidadão igual aos outros. Foi primeiro-ministro, presidente da república e (agora manifestando a minha opinião) um dos fundadores da democracia parlamentar portuguesa e um dos defensores primeiros da aproximação de Portugal ao modelo político europeu, em épocas conturbadas de experiências de socialismo à portuguesa e democracias populares afro-latino-americanas. Bem podem os (actuais e de sempre) detractores de Mário Soares tentar menorizá-lo, mas ou caem na deselegância e falta de argumentos que a referência à sua actual idade mostram, ou em insinuações torpes acerca da sua honorabilidade. A catadupa de comentários sobre a pessoa de Mário Soares demonstram que ele não é um português igual aos outros, mas com isso não se coloca acima da lei (abaixo dela é que também não).
Segundo: é manifestamente ridículo vir clamar contra o suposto condicionamento da justiça e o seu vilipendiamento (passo o neologismo) com as declarações inflamadas que faz à porta do EP de Évora. Comparadas com os títulos, insinuações, meias verdades e rotundas mentiras que o correio da manha vem lançando diariamente há vários anos, as declarações de MS não passam de desabafos de quem acha que este processo está profundamente desequilibrado e inquinado desde o seu início.
Será que vilipendia mais a justiça quando "declara a inocência imaculada de José Sócrates" do que aqueles que declaram a sua culpabilidade sem remissão, como parece ser o seu caso? Quem colocou este caso na praça pública fê-lo com o propósito de levar o julgamento para esse terreno, apostando na desigualdade de armas. Enganaram-se no visado, se pensava que ia ficar calado.
Sem imagem de perfil

De João Carlos Reis a 05.01.2015 às 02:47

Prezado Makiavel,
efectivamente o Mário Soares não é um cidadão igual aos outros... é apenas e tão só um dos piores que infelizmente Portugal já produziu ao longo da sua História.
Além de ter intitucionalizado o compadrio e a corrupção em Portugal logo no seu primeiro governo constitucional, aconselho-o a ler os "mimos" (registados na imprensa nacional e estrangeira) com que ele brindou os Portugueses nos primeiros anos da década de 80 do século passado quando os seus actos governativos levaram a que Portugal tivesse que pedir, pela segunda vez em democracia, auxílio finaceiro externo... isto para já não falar na opinião que ele tinha da então C.E.E. antes de pedir a entrada do nosso país nessa Comunidade...
Como escreveu o sr. António, eu apenas tenho respeito pela sua idade, não por alguma coisa que alguma vez tenha feito em benefício do País, algo que nunca fez...
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 05.01.2015 às 14:27

É a sua opinião.
Apenas uma correcção, a bem da verdade: o FMI foi chamado em 83 pelo governo de Mário Soares e Mota Pinto, na sequência da governação da maioria anterior (PSD-CDS-PPM). Não é por se repetir uma mentira que ela passa a ser verdade.
Quanto à posição dele acerca da CEE na altura, a história desmente a sua afirmação. Foi um governo liderado por ele que iniciou o pedido de adesão à CEE. Os eurocépticos da altura andavam pelo PSD e CDS (já para não falar no ainda eurocéptico PCP)
Sem imagem de perfil

De João Pedro a 06.01.2015 às 15:42

Está-se a esquecer que o FMI já tinha vindo antes, em 1977. De quem eram as responsabilidades, então? Quanto aos seus comentários acima, ao achar que MS está acima dos outros apenas ajuda a desmentir a ideia da "ética republicana", uma belíssima treta. De resto, não são os outros que põem em causa a honorabilidade de MS, mas o próprio, que já disse que Cavaco devia ser derrubado na rua, julgado, que "por menos do que ele tinha feito D. Carlos tinha sido assassinado", etc, além de que desconhece o princípio de separação dos poderes e o conceito de prisão preventiva. Se ninguém lhe pôs um processo em cima é porque as palavras dele são de alguém que nitidamente não sabe o que diz.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 06.01.2015 às 21:51

Para fim de conversa, pode-me dizer em que parte do meu post é que eu digo que MS está acima dos outros? Não ponha palavras no meu texto que eu não escrevi. Se quer concluir nesse sentido, a responsabilidade é sua, mas eu não disse que ele estava acima dos outros. O que me parece é que anda por aqui muita gente que o acha abaixo dos outros.
Sem imagem de perfil

De João Pedro a 07.01.2015 às 15:25

"Mário Soares não é um cidadão igual aos outros", escreveu no início de um dos comentários acima. Isto não é achar que está acima dos outros? Ou em que é que esta "desigualdade" se concretiza? A verdade é que se Soares não estivesse no estado em que está (e sejamos sérios, ninguém totalmente lúcido diz coisas daquelas), com 90 anos e sobretudo com uma recente encefalite, poderia perfeitamente ser objecto de processos por difamação.
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 07.01.2015 às 22:37

Escrevi e reafirmo: não é um cidadão igual aos outros. Quanto ao seu estado mental, ainda assim e sendo mais novo, está muitos furos acima do actual habitante de Belém. Quanto aos processos por difamação: o que é que ele disse de difamatório mesmo? Isto quando Mário Soares fala, uma onda de retornada indignação dá à costa. Um reprimido e antigo desejo de o calar...
Sem imagem de perfil

De João Pedro a 08.01.2015 às 19:38

O que é que ele disse de difamatório? Quer que eu repita? Disse, por exemplo, que "por menos do que ele tinha feito D. Carlos tinha sido assassinado", disse agora que Cavaco se arrisca a ser julgado, já de outras vezes insinuou que ele devia estar preso, ele e os outros membros do governo, etc, ao mesmo tempo que reafirma a inocência de Sócrates, e agora até que o juiz lhe devia pedir desculpas. Isto não é difamatório? Para mais vindo de alguém com imensos rabos de palha e casos suspeitos. Gostava de ver alguém dizer em público de Soares o que ele diz de Cavaco. Ah, mas não pode, porque "ele não é igual aos outros." Alguém falou na "ética republicana" e no "princípio da igualdade"? Pois...
Sem imagem de perfil

De Makiavel a 08.01.2015 às 20:41

Desculpe dizer-lhe mas está um pouco confuso quanto ao que acha que é difamatório e o que são opiniões que pode não concordar por excessivas. Em todos os exemplos que deu não vejo nenhuma difamação, apenas opiniões inflamadas. Dizer que por muito menos, D. Carlos foi assassinado é uma difamação de quem? Do actual visado ou do falecido rei? Difamação acontece quando alguém é acusado publicamente de um ilícito que não cometeu. O correio da manha está cheio de exemplos de difamação a diversas personalidades públicas. Pode verificar lá, para evitar confusão.

Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2015
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2014
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2013
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2012
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2011
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2010
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2009
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2008
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D
  183. 2007
  184. J
  185. F
  186. M
  187. A
  188. M
  189. J
  190. J
  191. A
  192. S
  193. O
  194. N
  195. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds