Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sócrates e o Templo de Shaolin

por Manuel Sousa Dias, em 21.06.14
Sem honra nem glória Sócrates escolheu refúgiar-se em França quando tombou da cadeira do poder. Tal como um guerreiro (acho que ele gosta de se ver assim) que precisa, primeiro, de recompor-se, e depois, de adquirir novas técnicas de luta, Sócrates escolheu, como num filme série B de artes marciais, o seu Templo de Shaolin. Se antes foi acusado de não ser um engenheiro (acusação terrível para um alguém do norte que se apresenta como tal), então na Sorbonne conseguirá um título, não de engenheiro mas de filósofo, não se chamasse ele Sócrates. E estudou muito. Estudou os clássicos, de Aristóteles a Platão passando, claro, pelo seu homónimo. Estudou longas horas a fio retórica e as suas várias técnicas. E estudou os Sofistas, que adorou, imaginando-se num futuro próximo enganar os portugueses e deliciar os seus amigos do PS com sofismas novinhos em folha inventados por si. Quando, depois de inúmeras horas bem gastas sobre os livros de filosofia e muitas reguadas nos dedos recebidas do mestre por cada resposta errada, o guerreiro finalmente obteve o grau pretendido, então decide regressar à pátria que antes o escorraçou. E, como no argumento de um mau filme série B de artes marciais, o guião segue um modelo: 1) Lavar a sua honra e restituir o bom nome a si e aos seus 2) matar o tirano que ilegitimamente usurpou o poder 3) devolver o poder aos bons - assim será a vingança suprema do guerreiro Sócrates!
A política portuguesa é um filme série B sem qualidade e Sócrates tenta, com a ajuda da falta de memória dos portugueses, lavar a sua honra semanalmente na sua homilia no canal 1 da RTP, com sofismas, mentiras e muita falta de vergonha. Segue-se a vingança suprema, neste caso, a ascensão de António Costa ao cargo de Primeiro Ministro, figura esta que não se poupa a esforços para restaurar a honra perdida do governo criminoso de Sócrates e dos seus cúmplices. Já vi este filme e é mesmo muito mau. V

PS: Estas retiradas estratégicas para os templos de Shaolin devem ser uma tendência da familia Pinto de Sousa, pois já o primo de Sócrates esteve anteriormente na China incomunicável numa espécie de Templo de Shaolin ou, por outras palavras, longe do braço atrofiado da justiça portuguesa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:45


3 comentários

Sem imagem de perfil

De planisfério a 24.06.2014 às 14:19

Este, tal como outros artigos que vejo serem publicados, apenas atestam a ignorância e justificam o atraso mental e intelectual dos portugueses.
Lamento imenso tanta falta de profundidade e seriedade do artigo e aconselho-o vivamente a dedicar-se à cultura da beterraba para o qual deve ter mais capacidade.
Sem imagem de perfil

De ed.oliva a 20.07.2014 às 20:54

Mais um especialista tipo "bate chapa"  em assuntos Sócrates. Conhece de trás para a frente e de frente para trás toda a vida de Sócrates e de todos da sua árvore genealógica... E a todos o bloguista atira-lhes, com insinuações, para cima todo o fel e toda a bilis e todo o bolo alimentar num autêntico vomitado a cheirar a podre. Fala e acusa o que se tornou banal congeminado numa luta sem tréguas. Acusa com insinuações insultuosas de quem tem um perfil sem perfil de carácter e honestidade. É a insinuação pela insinuação porque de factos nada tem a apresentar .
Imagem de perfil

De Manuel Sousa Dias a 21.07.2014 às 13:09

Caro Ed Oliva, que acusações tão más fiz eu? Que o homem foi para a Sorbonne estudar? Que voltou para soltar o seu veneno semanalmente na RTP1? Que o seu primo esteve fugido da justiça na China? E você? Esteve congelado uns anos e acordou hoje?

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas