Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Solidariedades e desagravos

por Nuno Castelo-Branco, em 09.01.15

55k9unfa.jpg

 


Em Dezembro de 1961, Portugal foi atacado pelo exército indiano. As comunidades muçulmanas espalhadas pelos territórios então sob a soberania portuguesa, manifestaram-se de forma inequívoca, mantendo-se leais a Portugal. Acompanhando cristãos e alguns hindus, muitos muçulmanos saíram do Estado da Índia ocupado pelos invasores e estabeleceram-se em Moçambique. A Baixa de Lourenço Marques assistiu a uma grande manifestação onde os maometanos também exprimiram a sua total lealdade ao Portugal de que também eram parte. 

Têm ocorrido inúmeras manifestações espontâneas em França e infelizmente é escassíssima, para não dizermos inexistente, a presença de alegados muçulmanos oriundos do Magrebe e principalmente, aqueles que tendo nascido e crescido em França, deveriam sentir-se atingidos pela vaga terrorista. Se é possível vermos gente da África negra, a presença de magrebinos é escassa, praticamente nula. Até ao momento, o repúdio pelas recentes ocorrências limita-se a uns tantos etéreos desabafos de um punhado de autoridades religiosas. No próximo domingo, numa cidade onde vivem centenas de milhares de pessoas que formalmente são muçulmanas, ocorrerá uma concentração onde antes de tudo, decerto ficará patente a lealdade ao Estado, à França. Aqui está uma excelente oportunidade para serem desfeitas todas as dúvidas.

Oxalá estejamos enganados, pois não será nada difícil reconhecermos o erro. 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 12:45


Comentar:

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas


    subscrever feeds