Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Stress tretas e o MillenniumBCP

por John Wolf, em 25.10.14

how-stress-affects-fertility

 

É tão bom ter amigos destes. Daqueles que pagam adiantado e torcem as verdades para defender interesses  alheios. Já sabemos que o sistema está podre, que a política e as finanças se corrompem mutuamente. Mas os meios de comunicação social também estão metidos até ao pescoço na mesma porcaria. Os mercados vivem de rumores e mexericos, boatos e desmentidos, e, os jornais e a televisão prolongam esse estado hipocondríaco, para vender postas de alegada credibilidade, amostras de ganhos futuros. Como é que o Económico sabe que o banco MillenniumBCP não vai precisar de reforçar rácios de capital, à luz dos mais recentes resultados dos stress tests do Banco Central Europeu? Ou será que em vez de praticar jornalismo de um modo deontológico e sério, escolheu o caminho do desvio da verdade e a disciplina de ficção financeira? Já ouvimos esta conversa tantas vezes; o paleio de que o Banco Espírito Santo está a salvo, a declaração de solvência do Banco Português de Negócios, ou ainda, as certezas sobre o estado de saúde do Banco Privado. O aumento de capital é uma bela jogada para tapar o sol com a peneira. É como verter água de um modo contínuo e abundante para um tanque rachado por um sismo de magnitude 8 na escala de richness. E a dívida privada, consubstanciada no crédito malparado? E os instrumentos financeiros complexos de que se serve este banco, como fazem todas as outras instituições financeiras? É sempre tudo um belo mar de rosas. Não era suposto os meios de comunicação social serem isentos e realizarem a entrega de mensagens de um modo imparcial? Pois, mas não parece ser esse o caso em Portugal. Parece haver uma agenda de comunicação em Portugal, dirigida por um qualquer clube macarrónico ou maçónico, que determina o teor e o grau de informação que deve chegar ao cidadão comum. O cangalho está arruinado e não há nada a fazer senão aceitar esse estado de desgraça. Não vale a pena se porem a inventar que está tudo bem. Não está nada bem. O resto são detalhes de contabilidade - accountability é outra estória. Preparem-se. Ainda há mais drama alinhado para delírio do prime time dos jornais e televisões nacionais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:58


12 comentários

Sem imagem de perfil

De Diogo a 25.10.2014 às 23:21

O humorista Ricardo Araújo Pereira já o disse por duas vezes:

 

«O negócio bancário é o melhor e mais fácil do mundo. Pedem dinheiro emprestado ao BCE a juros próximos do zero e emprestam-no a estados, empresas e famílias a juros altos. Com é que alguma vez podem ter prejuízo? Não compreendo.»

Imagem de perfil

De John Wolf a 27.10.2014 às 13:25

Caro Diogo,
Grato pelo comentário.
Cordialmente,
John 
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 25.10.2014 às 23:27

Comentário apagado.
Imagem de perfil

De John Wolf a 27.10.2014 às 13:21

Dear Sir,
I would have the utmost pleasure in accommodating your request as long as you produce statements or comments in plain English - american or british, according to your preference. As to the reference to "estória" as opposed to "história" - who am I to explain the downgrading features of irony or any other stylistic form one may seem to appreciate.
Yours Sincerely,
John Wolf
Imagem de perfil

De Artur de Oliveira a 27.10.2014 às 15:54

Parece que alguém ficou incomodado com o artigo do John e depois como não tem argumentos, usa ataques xenófobos. Gostava de saber quem esse anónimo representa.
Sem imagem de perfil

De José Domingos a 26.10.2014 às 16:46


Os "jornalistas", fazem o que lhe mandam. O que disse o comendador da bacalhoa, alguém sabe?Já foi entrevistado na sicn.
Imagem de perfil

De John Wolf a 27.10.2014 às 13:26

Caro José Domingos,
Precisamente. Os jornalistas também estão a soldo no sistema.
Grato.
Cordialmente,
John 
Sem imagem de perfil

De ernesto a 27.10.2014 às 10:46

A TRÍADE SALOIA Casino Estoril Sol III

A injustiça, a hipocrisia, a maldade cada vez são mais frequentes no nosso dia a dia. Mas porque é que essas pessoas que se dedicam a prejudicar os outros não tentam fazer alguma coisa de bom?

No caso da farsa do despedimento coletivo do Casino Estoril,passam já quatro anos e meio sem fim à vista por atraso da justiça a maior parte das pessoas estão na miséria e vão inevitavelmente por falta de ordem económica entrar em pobreza profunda este é o maior espectáculo de drama deste Casino Estoril o maior da Europa.

http://revelaraverdadesemcensura.blogspot.pt/

Imagem de perfil

De John Wolf a 28.10.2014 às 09:45

Comentários ofensivos ficam à porta.
Sem imagem de perfil

De Apache a 30.10.2014 às 01:41

“É como verter água de um modo contínuo e abundante para um tanque rachado por um sismo de magnitude 8 na escala de richness”

Julgo que queria escrever escala de Richter (a escala que mede a magnitude de um sismo) cujo nome pretende homenagear o sismólogo Charles Francis Richter.

Imagem de perfil

De John Wolf a 30.10.2014 às 08:17

Viva Apache,
Não. É mesmo richness, de rich - (rico, riqueza...). O trocadilho é intencional, embora subtil. As línguas oferecem essa virtude trans-literal, multi-dimensional...
Cumprimentos,
John
Imagem de perfil

De John Wolf a 30.10.2014 às 08:19

Escala de mercador (variante de Mercali, também seria uma possibilidade...)
Sem imagem de perfil

De umBhalane a 31.10.2014 às 15:04

Grandolar, grandolemos, Gandra vila morena,...

espero não ser comentário ofensivo.

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas