Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



A humilhação de Marques Mendes

por John Wolf, em 19.05.13

Tinha feito uma promessa, de joelhos e tudo, inspirado pela doutrina de Belém, que não dedicaria uma linha sequer ao relações públicas Luís Marques Mendes, mas ao virar a página de qualquer matutino digital, dou de caras com os últimos desabafos do conselheiro de Estado. Um indivíduo imbuído de um forte sentido de mexerico nacional. Deixei de escutar as suas alegadas mensagens oraculares, para me centrar em questões relacionadas com a linguagem empregue - a semântica da semana. Quando o Marques Mendes traz para a arena do léxico político o verbo humilhar, parece que estamos a lidar com um arrufo de uma Barbie. Que uma boneca rival entornou propositadamente um cocktail sobre o seu vestido apenas para a envergonhar em público, à frente do Ken e tudo. Desde quando é que a humilhação funciona enquanto código político, ou enquanto uma pequena moção de censura, de tamanho reduzido, liliputano? E depois há esta maravilha, esta pérola: "a solidariedade dentro do governo não funcionou". Sinceramente, penso que o Luís Marques Mendes está muito bem como porta-voz do surrealismo político que retrata Portugal. Se são estas miudezas que levam a lume para explicar uma tragédia nacional, este, e os demais conselheiros, estão confortáveis com a tragédia nacional. Estão-se nas tintas para o que o bufo de Estado e Governo tem para dizer. Enquanto esta novela de idiotas acontece, estamos a ser vítimas de bullying, de assédio psicológico. Somos nós que estamos a ser humilhados pelas palavras incertas que estão a ser proferidas e pelas decisões políticas que estão a ser tomadas. O Marques Mendes é um tonto inconsciente, parente próximo do Presidente da República. Pisam ambos, e sem pudor, tabus, como se fossem tábuas de engomar. A Nossa Senhora, e a humilhação, fazem parte do mesmo jargão de sofrimento que deve apenas residir no espírito toldado dos Portugueses. Esse território de sentimentos, é um refúgio sagrado, e não pode ser arrastado, com toda a sua carga simbólica, para o confessionário obsceno do mediatismo de ocasião. A seguir à humilhação de Marques Mendes o que teremos? A ciumeira de Seguro?

publicado às 08:48






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas