Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Constituição 2.0

por Samuel de Paiva Pires, em 15.07.09

 

O evento do passado sábado foi sem dúvida excepcional, pela qualidade dos oradores e pela elevação que sempre pautou o debate. No encerramento, Mendo Castro Henriques fez referência à continuação desta iniciativa que terá como objectivo crescer com a colaboração de todos os interessados, todos os que fazem parte da nossa sociedade civil cada vez mais interventiva e que cada vez menos se revê nos actuais partidos políticos. É por isso importante continuar este projecto e todos podem fazê-lo através da Wiki Constituição 2.0.

publicado às 16:25

Constituição 2.0 - Mensagem de encerramento de D. Duarte

por Samuel de Paiva Pires, em 11.07.09

 

"Uma geração não é dona da História e não pode através do texto constitucional condicionar as vindouras"

publicado às 14:02

 

João Titta Maurício: "A poesia do direito ao trabalho é boa, mas a constituição não pode assegurar empregos"

publicado às 13:59

Constituição 2.0 - 4.º Painel: "Poderes Políticos"

por Samuel de Paiva Pires, em 11.07.09

 

O 4.º painel é composto por João Caetano, João Titta Maurício e Ricardo Pinheiro Alves.

publicado às 13:26

 

General Garcia Leandro: "Os partidos já não representam a sociedade organizada. Estamos na iminência de desaparecer".

publicado às 13:17

 

Falando sobre os corninhos de Manuel Pinho, o Professor Armando Marques Guedes revelou ter ficado surpreendido por não ter aparecido um grupo de apoio a Manuel Pinho, visto que pior do que o gesto deste, foi um dia o deputado do PCP, Bernardino Soares, ter afirmado em plena Assembleia da República que a Coreia do Norte é uma democracia.

publicado às 13:11

 

Um jovem da assistência trajado com um kilt, interpelou o 3.º painel afirmando desde logo "Sou um revolucionário", tecendo de seguida considerações sobre as 3 causas da desgraça: a existência da política, que, segundo ele, não serve para nada; a existência de um sistema monetário que, diz, não é necessário e serve apenas para distinguir entre ricos e pobres; e, por último, a religião, que é uma mentira. Concluiu afirmando que estes são os grandes limites da humanidade. 

publicado às 13:08

Constituição 2.0 - 3.º Painel: "Direitos e deveres"

por Samuel de Paiva Pires, em 11.07.09

 

General Garcia Leandro: «Quem não tem valores, como alguns representantes, não liga aos deveres».

publicado às 12:54

Constituição 2.0 - 3.º Painel: "Direitos e deveres"

por Samuel de Paiva Pires, em 11.07.09

 

O 3.º painel é composto pelo General Garcia Leandro,  Comandante Orlando Temes e João Palmeiro.

 

O General Garcia Leandro iniciou a sua intervenção relembrando a reflexão que coloquei, tributária dos ensinamentos do Professor Adriano Moreira, quanto à inexistência de um Conceito Estratégico Nacional. Considerou que temos que compreender o mundo actual para podermos saber o que queremos para o país, sendo que o novo "ouro do Brasil" é o mar.

publicado às 12:40

 

Ribeiro Telles: "Na província quem manda são os urbanos que foram para lá administrar. E em Lisboa são os hortelões que vieram da província que mandam".

publicado às 12:18

 

O segundo painel da manhã é composto por Gonçalo Ribeiro Telles, Frederico Brotas de Carvalho e João Paulo Gaspar.

 

Ribeiro Telles inicia a sua intervenção, com uma breve explicação acerca da actual política de desenvolvimento de infraesturas, em divergência com as populações: a degradação do ambiente por via de um poder que desconhece o território que em si, tem limites em toda a sua multiplicidade física. Consiste isto, na dinâmica da sua existência e especialmente, no respeito da diversidade. A actual visão mercantilista do tempo, impede a ideal organização do território, a fixação das populações e a viabilidade das actividades produtivas.

publicado às 11:44

Constituição 2.0 - 1.º Painel: "Cidadania"

por Samuel de Paiva Pires, em 11.07.09

 

José Adelino Maltez: "Devíamos ter uma constituição em poema. Os constitucionalistas são os seminaristas do regime"

publicado às 11:08

Constituição 2.0 - 1.º Painel: "Cidadania"

por Samuel de Paiva Pires, em 11.07.09

 

O 1.º painel desta manhã é composto pelos Professores Mendo Castro Henriques, José Adelino Maltez e Armando Marques Guedes, à conversa sobre a influência das novas ferramentas da comunicação na internet, nomeadamente, as redes sociais.

publicado às 10:49

Estado Sentido no Constituição 2.0

por Samuel de Paiva Pires, em 11.07.09

 

Sigam-nos ao longo da manhã, por aqui, no Constituição 2.0 e no Twitter com a hashtag #constituicao20.

publicado às 10:33

No próximo Sábado

por Nuno Castelo-Branco, em 08.07.09

 

 Enquanto os republicanos têm andado entretidos nos seus afazeres normais, preocupando-se com os milhões de Cristiano Ronaldo, as tricas e mexericos da apresentação das listas eleitorais e claro, os dinheiros de quem ganhou ou perdeu nos negócios regimentais com este e aquele banco, os nostálgicos, passadistas e inconsequentes monárquicos organizaram mais uma iniciativa "sem qualquer interesse" para o país. Como Portugal se encontra num período de grande prosperidade, perfeita organização administrativa, independência de poderes e não comprometimento dos agentes políticos, o Instituto Democracia Portuguesa resolveu organizar um amplo debate que  pretende ..."melhorar a consciência cívica sobre o que é a Constituição..., lança uma iniciativa online, a Constituição 2.0, utilizando uma plataforma wiki para que qualquer pessoa possa participar naquela que seria uma nova Constituição para a democracia portuguesa"

 

Inveterados nostálgicos, passadistas e inconsequentes que somos, lá estarão alguns membros deste blogue para participar em directo e no local.

 

Num país onde todos os dias se escutam lamúrias acerca da falta de interesse de participação cívica nos assuntos nacionais e no desinteresse dos portugueses seja pelo que for que lhes diga directo respeito, este evento é a cabal demonstração de algo de novo, quase inédito: não existem "fundos perdidos" provenientes de fundações; não se vislumbra qualquer tipo de condicionamento à participação; não se intuem quaisquer objectivos de favorecimento pessoal ou de partido, nem existe à qualquer projecto para desta iniciativa se servir de plataforma para desconhecidos intuitos.

 

Trata-se apenas de participar civicamente, como se torna cada vez mais necessário.  Contamos com o vosso interesse.

 

 

publicado às 19:15

Constituição 2.0

por Samuel de Paiva Pires, em 02.07.09

 

Sob os auspícios do Concelho de Fóruns do Instituto da Democracia Portuguesa (IDP), decorrerá no Museu das Comunicações, Átrio da Casa do Futuro, no próximo dia 11 de Julho o entre as 10.00hs e as 18.00hs o debate de lançamento do Constituição 2.0 (que também aqui colocamos em destaque).
Esta iniciativa tem como objectivo a construção participada, através de ferramentas colaborativas e interactivas ao dispor dos utilizadores da Internet (twitter, blogue, facebook), de uma nova Constituição para Portugal.

 

O debate de lançamento será centrado nos temas levantados por si no blogue, ou pelo twitter, as suas sugestões são muito importantes: diga o que acha que é o assunto prioritário que deva estar numa nova Constituição. Pode fazê-lo aqui, adicionando um comentário, no Twitter (hashtag #constituicao20) ou no Facebook.

Participe! Para inscrições e esclarecimentos visite Constituição 2.0 ou contacte a organização pelo endereço electrónico: democraciaportuguesa@gmail.com.

publicado às 14:05






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas