Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Pronto, Samuel,

por Cristina Ribeiro, em 17.01.09

então ficamos nesse pé (  quando nos cansarmos mudamos para o outro :) ): continuo a achar que aquilo a que normalmente se chama " solidariedade masculina " não é mais do que cumplicidade entre machos, que foi facilitada pelas razões aduzidas pela Luísa, mas que se estão a estender à outra parte, que é a nossa, e, como também opina a Patti, a verdadeira solidariedade não é apanágio de um dos sexos, apenas..

 

Quanto ao que noutro post ajunta o Mike, e, antes, a Júlia, parece-me verdade que o homem pode ser o maior amigo da mulher, mas que há por aí uns sacanas, como demonstra este testemunho, ai isso há.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:48

Também eu fui à livraria querida Cristina

por Samuel de Paiva Pires, em 17.01.09

E apesar de ter em casa imensos livros por ler, andava à procura de algo do género do recentemente lido "O Mundo Pós-Americano" de Fareed Zakaria, algo recente e que me despertasse a curiosidade, quando encontrei "A Morte da Utopia" (em inglês, Black Mass) do reputado professor da LSE, John Gray.

 

 

Na contracapa: «A história do século passado não é um conto de progresso secular, como os bem-pensantes da direita e da esquerda gostam de pensar. As tomadas de poder pelos bolcheviques e pelos nazis foram tanto levantamentos baseados na fé como a insurreição teocrática do aiatola Khomeini no Irão. A própria ideia de revolução como acontecimento transformador na história deve-se à religião. Os movimentos revolucionários modernos são uma continuação da religião por outros meios»

 

Ah e é verdade, bem Cristina, compreendo os argumentos mas, não posso deixar de ter a mesma percepção ou senso comum sobre a solidariedade entre as mulheres, e parece-me que pelo menos o Mike também concorda :p)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:13

" Resumindo e concluindo", Samuel,

por Cristina Ribeiro, em 15.01.09

continuo a achar que essa história de que entre os homens há maior solidariedade do que entre as mulheres é uma falácia:

            Com  as excepções que sempre sublinham a regra, essa alardeada " solidariedade" é uma montanha a parir um rato, pois que se reduz  à cumplicidade de macho, enquanto tal, e nesse reduto, reconheço, a fémea não a tem tão vincada, mas também aqui com as honrosas excepções  .

Nas demais faces de que a vida é feita, não me parece que uns sejam mais solidários do que os outros, e as " facadas nas costas" são em igual número desferidas por uns e outros.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:48

Não, Samuel, não vem aí artilharia, *

por Cristina Ribeiro, em 15.01.09

pois que, seguindo uma máxima de um escritor que muito prezo, Tomás de Figueiredo, só posso falar daquilo que me é próximo: pessoalmente não sinto essa falta de solidariedade; bem sei que tenho em mente as amigas, que sinto mesmo muito solidárias- e poderia, não fosse o sentido de privacidade, dar-lhe conta de provas daquela coisa dos três mosqueteiros- " um por todos e todos por um" entre várias amigas.

   Como antes disse, isso cresceu com o passar do tempo, e quando começámos a dar mais valor àquilo que estava mesmo ao nosso lado, e iria enriquecer as nossas vidas.

 

Não será, como diz, assim com as mulheres que não sentem ( ainda? ) que a amizade é mais importante do que essas competiçõezinhas, mas, pelo menos neste estádio da vida, depois dos 40, essa é uma realidade que me é desconhecida.

E, como disse, só posso falar do que conheço

 

 

 

 

* daqui, mas apelo aos reforços blogosféricos para o rebater :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:10

Bom então cá vai...

por Samuel de Paiva Pires, em 15.01.09

Isto talvez possa parecer um lugar ou senso comum, mas é genericamente aceite por todos que os homens são muito mais solidários ou companheiros entre si do que as mulheres. Imensos filmes há, imensas anedotas e imensos casos que todos conhecemos que exemplificam tal afirmação. Eu já trabalhei numa organização em que era o único rapaz no meio de 9 ou 10 mulheres, e deixem-me que vos diga, não é pêra doce, nem um paraíso como alguns poderão estar a pensar, e, Cristina, tinham entre 20 e poucos e 40 e poucos, passando pelos 30's, portanto havia para todos os gostos e todas as idades...

 

É claro que todas as mulheres têm amigas, e há amigas que nunca se traiem, que são verdadeiramente amigas do coração, mas muito facilmente as mulheres falam mal umas das outras nas costas. Não digo que os homens também não o façam, isso seria irreal, mas as mulheres parecem-me bem mais profícuas na arte da maledicência em relação a outras. Talvez seja um mito ou apenas uma sensação. Mas dou um exemplo:

 

Eu sou terminantemente a favor das quotas para mulheres. Porque realmente acredito que as mulheres são iguais aos homens, quando não mesmo bem melhores, e até porque tal como referi, ainda julgo ser um cavalheiro (para alguns cavalheirismo parece ser machismo, enfim...), e tenho a tendência a colocar certas mulheres num pedestal, o que muitas vezes me causa dissabores, mas, em geral, as mulheres são de facto o melhor e mais perfeito que este mundo tem.

 

Adiante, em relação às quotas, parece-me haver uma razão muito simples para o facto de, historicamente, as mulheres que clamam por igualdade em relação aos homens não conseguirem afirmar-se da mesma forma, que é a incapacidade de se entenderem e organizarem entre si da mesma forma que os homens são capazes de o fazer. Ou como refere este post, num blog que encontrei há pouco tempo e que me tem proporcionado horas de riso, às mulheres que querem igualdade com os homens falta-lhes ambição. Que é como quem diz, falta-lhes capacidade de levar a cabo o mesmo que esses por exemplo no que à política e organizações partidárias diz respeito, porque não conseguem colocar de lado as suas divergências.

 

Mais, outro exemplo, há um pacto tácito entre os homens para a sacanice, por exemplo, um homem não vai contar aos sete ventos que um amigo traiu a namorada ou a mulher, ou qualquer outra coisa que possa prejudicar o amigo. Agora em relação às mulheres já não se pode dizer o mesmo...

 

Bom, sabendo de antemão da quantidade e qualidade de magníficas Senhoras que nos visitam, em grande parte porque também nós temos o privilégio de ter entre nós uma grande Senhora, a Cristina, vou agora começar a preparar-me para a artilharia que aí vem...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 01:49

" Isto vai ser engraçado",

por Cristina Ribeiro, em 15.01.09

diz o caríssimo Samuel: que as mulheres não são solidárias entre si...

" Cavalheiro e Conservador", convida-me a " iniciar as hostidades", e até já se diz pronto a carregar com o epíteto de machista :)

 

               Esse parece-me um mito que, a ter cabimento, concedo, é coisa passageira, própria, talvez, de uma tenra idade, que podemos situar no pós adolescência, início da idade madura, quando o instinto de competição deita as garras de fora, cioso do objecto que persegue,mantendo, por isso, a  potencial concorrência dele afastada, e, aí, não há solidariedade que valha- mas estou convencida de que essa é uma fraqueza transversal, que atinge fémeas e machos; ou não?

 

Depois, com o inexorável  passar do tempo, com a maturação que ele acarreta, e, consequentemente, a segurança que traz,, essa debilidade passa a fazer parte daquelas velharias que já não têm lugar sequer no sótão.

É a altura certa de recuperar aquela cumplicidade que se teve na primeira adolescência, quando o nosso mundo era feito, em grande parte, de amizades femininas.

                Falo, é claro da geração que é a minha´, e da realidade que vivi e vivo...

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:41






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas