Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Lapidar

por Nuno Castelo-Branco, em 28.06.13

O nosso agradecimento ao blog FRP

publicado às 20:00

Uma visita diária

por Nuno Castelo-Branco, em 26.01.13

Desfeita em pequenas misérias, grandes cumplicidades e escusas cooperações despudoradas, a chefia do Estado que temos é coisa vergonhosa, indecente, devorista, caduca, sem qualquer conexão com o país real que olimpicamente a ignora. O desastre dura há demasiadas gerações. 

 

O que este blog dia a dia nos mostra é um outro Portugal, um país que em Lisboa é praticamente desconhecido, mas nem por isso menos teimosamente aferrado àquilo que é seu. Um Portugal das liberdades do povo, cuidadosamente organizado e que sabe inovar sem deslustrar as suas tradições. Um Portugal sem a condicionante muleta dos "subsídios e dependência" dos cofres públicos, recusando-se ficar à mercê dos apetites de aventureiros políticos. 

 

Maria Menezes presta abnegada e quotidianamente um grande serviço e chama-nos a atenção para aquilo que esse outro Portugal significa. É que para uma insuspeitada multidão de portugueses a Monarquia já existe, sendo o necessário  e optimista contraponto ao descalabro a que na república assistimos sem solução possível.

publicado às 16:35

Hoje, no Expresso, graças a Maria Augusta Menezes

por Nuno Castelo-Branco, em 29.10.11

Todos reconhecem os inestimáveis serviços que a nossa amiga Augusta Menezes quotidianamente tem prestado à Causa, no seu blog Família Real Portuguesa. Como alertei há uns dias neste post, é imperiosa a colaboração de todos para o progressivo esclarecimento dos portugueses. Sendo um inegável facto o recrudescer da simpatia pela instauração da Monarquia em Portugal, a mensagem tem encontrado eco em toda a sociedade e já chega aos mais importantes jornais do país. A prova disso, é a coluna que hoje mesmo Fernando Madrinha deixou no Expresso do oportunamente republicano Sr. Balsemão.

Já se contrapõe abertamente o exemplo do Rei D. Carlos I, à péssima, abusiva, inconsciente e absurda prestação do Presidente em exercício e dos respectivos antecessores-colegas na capitosa reforma.

publicado às 18:31

A infanta D. Adelaide e o filho, o herói da Guerra  de África, D. Francisco de Bragança van Uden

 

 Em Portugal, a infanta Maria Adelaide continuou a trabalhar na área da assistência social. Criou a Fundação D. Nuno Álvares Pereira, de apoio a mães pobres em fim de gravidez e às crianças até à puberdade, que desapareceu a seguir à revolução. 

O seu marido, Nicolaas van Uden, dedicou-se à investigação científica, sendo fundador do Instituto Gulbenkian da Ciência e seu director de Microbiologia até à sua morte, em 1971. Hoje, a infanta Maria Adelaide tem 97 anos e é a única neta viva do rei D. Miguel I.

publicado às 03:48






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas