Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



João de Brecht comenta o I Congresso do MMS antes do almoço

por Samuel de Paiva Pires, em 21.03.09

 

 

publicado às 12:31

Muitos parabéns João!

por Samuel de Paiva Pires, em 27.01.09

 

É difícil estar à altura do que o João escreveu acerca da minha pessoa aquando do meu aniversário em Dezembro passado. Não sou poeta como o João, e o parco talento que tenho para a escrita resume-se ao tratamento de assuntos mais ou menos entediantes, consoante os interesses de cada qual. No entanto, vale sempre a pena o esforço, e não podia deixar passar em branco este dia em que se assinalam os seus 19 anos. 

 

Ainda me recordo da primeira vez que falámos, no bar da faculdade, sobre um assunto deveras interessante, como decerto ele se recorda... Daí em diante, temos vindo a cultivar uma amizade precisamente no sentido do que o João escreveu, sabendo “que as únicas pessoas que vale a pena ter ao nosso lado são aquelas que acrescentam alguma coisa à nossa existência, que de uma maneira ou de outra têm personalidade e carácter que permitam estabelecer uma relação de confiança e entreajuda sem qualquer interesse por trás.”

 

Sendo eu uma daquelas pessoas que considera muito poucos indivíduos como verdadeiros amigos, posso sem dúvida afirmar que o João é um desses amigos, o mais recente mas que, apesar destes poucos meses de convívio, parece que conheci desde sempre. Se, por um lado, creio ter, de alguma forma, contribuído para a sua integração nesta nova fase da sua vida, em que se mudou de corpo e alma para Lisboa para ingressar no ensino superior, uma das transformações mais radicais pelas quais um jovem português pode passar, por outro, tenho que agradecer a sua amizade e o muito que com ele tenho aprendido, nesta recíproca relação de confiança e entreajuda que a ambos tem servido. 

 

Se o João carinhosamente dizia que eu era um jovem fascista, pegando na brincadeira, fui inicialmente encontrá-lo no outro ponto do espectro, num extremo que tem mais de semelhante com o primeiro do que se possa pensar. É, portanto, de louvar que alguém a quem tinha sido incutida a cassete vermelha se tenha dessa desprendido e apercebido da distorção da realidade que essa promove, o que só demonstra a sua abertura de espírito e apetite pela apreensão do desconhecido e do conhecimento, pelo colocar dogmas em causa, e por tentar individualmente perceber-se a ele próprio e onde se encaixa, se é que se deve encaixar sequer seja no que for.

 

Não deixa de ser curioso, que o que nos aproxima seja talvez o facto de as nossas personalidades serem antíteses, sendo eu um realista por definição, ao passo que o João se assume como um idealista, com veia de poeta romântico, um jovem que vive as emoções de forma intensa, um jovem com uma capacidade intelectual acima da média, isto, apesar de eu não ser nenhum caçador de talentos, mas em quem desde logo reconheci algo de diferente em relação à maioria dos jovens da sua (nossa) idade, e foi por isso mesmo que não hesitei em convidá-lo para colaborar no Estado Sentido, onde tem dado provas de tudo (pouco) que digo em seu favor.

 

Perante mim o João nada tem a provar. Mas tenho a certeza que terá que enfrentar imensos desafios e provar perante muita gente aquilo de que é capaz, o que certamente conseguirá, com maior ou menor esforço, até porque a sua veia idealista não deixa de estar complementada com uma faceta de simultânea humildade e superioridade intelectual que, conjugada com o seu humor e simpatia, conformam uma personalidade a todos os níveis interessante e cativante.

 

Por tudo isto e muito mais que sei que és João, o meu sentido agradecimento pela tua amizade, e uns sinceros Parabéns neste dia em que celebras 19 primaveras! 

 

Um grande abraço

publicado às 00:01

Depois da mais recente "contratação" blogueira do Estado Sentido, reforçamo-nos agora com mais um bloguista, desta feita ainda mais jovem que eu. Não tendo por hábito cultivar grandes amizades com caloiros, especialmente à medida que vou ficando mais velho, o João de Brecht, como prefere ser tratado, tem sido para mim uma agradabílissima surpresa enquanto caloiro de Relações Internacionais do ISCSP.

 

Para além da amizade que nos tem vindo a unir, é de realçar a sua notável inteligência e pensamento, para alguém ainda no 1.º ano da licenciatura. Tendo-me proposto iniciar um novo blog, projecto para o qual eu não teria disponibilidade, acabei por decidir apostar neste jovem amigo e colega. E como sei que não nos vai desiludir, caso contrário não o convidaria a integrar o E.S., não tenho qualquer problema em elogiá-lo e começar por lhe dar as boas vindas a esta modesta casa, tanto nossa como dos nossos amigos leitores e comentadores, a quem, penso, a sua escrita algo romântica e fluente agradará.

publicado às 23:33






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas