Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Socialismo de sabor humano

por João Quaresma, em 08.09.12

«BEIJING — The document, written by Communist Party investigators as famine raged in China in 1961, reads almost like a cookbook.

In Qiaotou district, in Sichuan Province, “An old lady named Luo Wenxiu was the first to start consuming human flesh,” investigators wrote. “After an entire family of seven had died, Luo dug up the body of the 3-year-old girl, Ma Fahui. She sliced up the girl’s flesh and spiced it with chili peppers before steaming and eating it.” The report, dated Feb. 9 of that year, is one of more than 100 astonishing documents collected by the historian Zhou Xun in a new book about Mao Zedong’s Great Leap Forward, published by Yale University Press.

In another, an investigator recounted how the body of a 5-year-old Sichuan boy provided “four separate meals” for his mother, who strangled him with a towel first. “Such shocking and disturbing incidents are by no means unique,” the investigator, Wang Deming, wrote in the report dated Jan. 27.

Unlike the horrors of the Soviet gulag or the Holocaust, what happened in China during the Great Leap Forward has received little attention from the larger world, “even though it is one of the worst catastrophes in twentieth-century history,” writes Ms. Zhou, an assistant professor of history at the University of Hong Kong, in the introduction to “The Great Famine in China, 1958-1962.”

 

“In China itself, the famine is a dark episode, one that is not discussed or officially recognized,” she writes.»

 

A Great Leap Into the Abyss - no New York Times.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:05

Papá, o que é o Fascismo?

por João de Brecht, em 05.01.09

 

 

A palavra “fascista” é usada com muita frequência hoje em dia, não só no mundo da política, mas também na nossa vida social e profissional, se o pai ou a mãe não nos deixam sair até tarde, são “fascistas”, se o patrão não nos deixa sair mais cedo é um “fascista”, se o Benfica perde um jogo, o árbitro é um “fascista”.
Mas de facto o que é o Fascismo?
É uma doutrina baseada num ditado romano que dizia que um império só se pode manter quando funciona como um facho (conjunto de paus, que são fáceis de partir individualmente mas impossíveis quando atados e unidos). O movimento fascista foi criado em 1919 em Itália pelo nosso conhecido Benito Mussolini, defendiam um regime totalitário e corporativista, opondo-se ao liberalismo, socialismo/comunismo e ao ideal democrático. Um sistema que defendia a violência como base essencial da educação (quanto mais me bates, mais rijo fico). Apesar da errónea concepção de racismo que lhe é atribuída, ao contrário de Hitler, Mussolini não era a favor de genocídios e práticas desse género, apesar de haver alguns casos de xenofobia e violência com etíopes e outras minorias em Itália.
Houve fascismo em Portugal?
Sim, mas o único movimento fascista foi aquele liderado por Rolão Preto, curiosamente este foi ilegalizado pelo homem a quem chamam fascista, António de Oliveira Salazar. Apesar de algumas semelhanças entre os regimes italiano e português, no fundo tinham um funcionamento administrativo e actuação internacionais completamente distintos. Por isso há pequenas fórmulas que devem ser decoradas:
If Ien
N  F  C  En
Legenda:
If _ ideal fascista
Ien_ ideal do Estado Novo
En_ Estado Novo
N_ Nazismo
F_ Fascismo
C_ Caudilhismo
(Não ponham no mesmo saco berlindes de cores diferentes)
 
O que é um fascista para o PCP?
Para o Partido Comunista e para outros tantos, um fascista é todo aquele que não concorda com o ideais marxistas, por exemplo, se o Moita Flores não cede um pavilhão ao PCP para um comício em Santarém é considerado um fascista, se alguém sai do partido revoltado com alguém que está acima dele na hierarquia, é considerado um fascista, se alguém vai trabalhar como todos os outros camaradas para a festa do Avante, mas em vez de levar ciganosport tiver uma camisola da Pepe Jeans, é um fascista. São contra o MacDonalds mas já se imaginaram num país em que a comida rápida fosse servida num MacLenine? E se calhasse um Estaline aos garotos no Happy Meal? Como sabemos foi com a palavra fascista que o PCP conseguiu calar uma parte da oposição durante o Verão Quente, o nome fascista era aplicado com a maior das facilidades e tinha um carácter ainda mais pejorativo do que tem hoje. O boicote de vocabulário tornou-se na principal arma comunista até aos dias de hoje; prova disso é que eu próprio, sendo defensor de muitos dos ideais esquerda já fui chamado de fascista por não concordar com certos aspectos do marxismo! Já agora gostava de saber como é que eles classificam duas personagens da história… Francisco de Assis e D. Nuno Álvares Pereira, ambos riquíssimos que abdicaram de tudo para abraçar uma vida de pobreza, serão fascistas? Vieram de seio endinheirado e além disso eram católicos…
Cassete vermelha, cassete vermelha…
 
Vamos ser racionais e chamar as coisas pelos nomes, chamar fascista a Salazar é o mesmo que chamar António à Antonieta, apesar de ser parecido, há muitos aspectos que se distinguem. Na política devemos ser rigorosos com as terminologias usadas, correndo o risco de nos tornar facciosos e quando isso acontece perdemos toda a credibilidade no discurso, e isto é tão certo como os hábitos de higiene do Mao Tse Tung serem inexistentes ou como o facto de Marx ter sido um burguês!
 
P.S.: O Samuel está a fazer um artigo sobre o Fascismo que com toda a certeza completará os tópicos “Fascismo” e “Fascismo em Portugal”

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 02:47






Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas