Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Até ele...

por Nuno Castelo-Branco, em 14.08.13

... já parece estar a adequar-se à "nova situação". Quem ande a lê-lo desde há uns dois anos, diria ser impossível tal quebra-espinhas, mas a verdade é que aconteceu mesmo e até já desvenda a hipótese dos PPD's poderem ganhar as próximas eleições! Ena, ena...

 

Agora que foi mandado às urtigas por um dos seus mais entusiastas promotores, o que terá a dizer o "Prof. Dr." Baptista da Silva? Apenas para ser mauzinho, diria que agora se compreende a pressa do PS em regressar ao governo. É a velha estorieta dos ovos postos em ninho alheio. 

 

* Ainda não é caso para qualquer foguetório, mas uma rápida passagem da vista sobre a blogagem e comentadeirismo nacional - da direita à esquerda, off course -, confirma a ânsia pelo falhanço, inventando-se todo o tipo de disparates como "sondagem governamental", falsificação de dados pelo INE (!), eleitoralismo autárquico, etc. Enfim, o costume a que a Metrópole nos habituou. Como dizia num post de há umas semanas, esta gente - que nem sequer cruza dados que chegam de fora - sonha com um eterno chafurdar na triologia Feios, Porcos e Maus. Ter-lhes-ia feito muito bem o conhecimento de outros Portugais infelizmente desaparecidos e outrora situados uns milhares de quilómetros mais a sul. 

publicado às 14:07

Terrorismo de Estado

por Pedro Quartin Graça, em 11.05.13

 

Carregue em cima da foto e, depois, na nova janela que se abre para ampliar e ler.

publicado às 15:09

Nicolau Santos, lapidar

por Nuno Castelo-Branco, em 30.12.12

"Será pedir muito a Passos Coelho, Vitor Gaspar e Carlos Moedas que leiam a entrevista que Artur Baptista da Silva deu ao caderno de economia?"


 Expresso no seu melhor.

publicado às 11:04

O Natal dos perdidos

por João Pinto Bastos, em 27.12.12

Após um breve interregno blogueiro, Natal oblige, verifico, com algum pasmo e pesar, que o debate em curso continua a versar sobre o pilantra acoitado pela verve indignada de Nicolau Santos. Compreendo a fúria de muita gente, mas, passado o tempo do choque e da degustação da impostura, que tal deixarmos de dar tempo de antena a Baptista da Silva? Será pedir muito?

publicado às 22:56

Artur Burla, Mata e Foge

por joshua, em 27.12.12

Como explicar que o cu mediático nacional cheire mal tal como o da política ou o da mais pura e lhana civilidade? Nada como ir atrás do Catolicismo para explicá-lo, segundo o camelo valupetas que blatera invariavelmente na direcção unívoca do amante. Pois, o Catolicismo explica quase tudo. Até explica a emanação burlesca e pícara mais recente, Artur Baptista da Silva. Explica o sucesso da sua prestidigitação mediática, explica que Nicolau Santos seja permeável a grandes berloques de economês, useiro e vezeiro em treta e spin, muito dado a este tipo de habilidosos, baste um cartãozinho ou uma técnica de discursar flamejante e assanhada como a Besta Quadrada que hoje passeia tranquilamente o respectivo Cagueiro de Ouro em Paris. O Nicolau é um comediante! Ora o Artur veio simplesmente amplificar a certeza de que é nosso, é português, fazer figura de urso e das duas maneiras, na activa e na passiva. Nicolau fez figura de urso na activa. Todos os demais na passiva. Não é assim tão consensual ver como nefastas as heranças culturais do Catolicismo de costas largas nos países do Sul da Europa sem querer ver as nefastas inoculações culturais da Maçonaria Política e do Republicanismo Fanático que se enquistou no Regime enquanto um todo: o amor ao chico-espertismo; a estratificação social entre os beneficiários de um BPN, de um Fax de Macau, das meganegociatas chorudas socialistas só prá’migos na governação, por um lado, e, por outro, a ralé, os outros, nós, a quem se dá um Magalhães para entreter ou se enfia um subsídio que mais adiante expirará por falta de verba. O Catolicismo, o Catolicismo… Nem imaginamos as Missas Negras do Socialismo de Casta a metade, oficiadas pelos Almeida Santos, pelos Soares e todos os mediocrizadores crassos da tão maltratada e escarrada Pátria Amada. Não vale a pena insistir no quanto o embarretado Nicolau Santos se embarretou com o onírico da ONU, um Fangio Homicida, diz-se, mas nunca será de mais insistir que não foi a primeira vez. O amor delambidolas a José Sócrates criou no enlaçado Nicolau uma espécie de pátina, uma incapacidade crassa para reconhecer um aldrabão, mesmo com todos os sinais, tiques e traques que o indiciam. Nem que chegue a Primeiro-Ministro, sustentado e apoiado por variadíssimos aldrabões a quem deu mil empregos e rios de dinheiro a ganhar e que hoje calam e calam fundo, deixando intocado e imune o agente-mor da nossa Bancarrota. A brincar que o digamos, Nicolau já poderia ser o maior especialista vivo em Portugal em burlões, impostores, vigaristas, intrujões e escroques. Mas reincide. Por que não um ano sabático, por que não suspender a teta parcial do Espesso e ir vender castanhas assadas ou laços fofos nas ruas de Paris?! Amigo não esquece Amigo.

publicado às 14:00






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas