Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Miguel Cadilhe «sugere ao Governo a criação de um tributo de solidariedade – um imposto de 4% sobre a riqueza líquida. Seria uma medida extraordinária, que permitiria amortizar dívida pública, num montante equivalente a 10 a 15 pontos percentuais do PIB.»

publicado às 13:11

Sem dinheiro não há palhaços. Apenas na oposição.

por Ana Firmo Ferreira, em 07.12.11

Ah e tal o governo fez 3 nomeações por dia desde que tomou posse e os Ministérios da Agricultura e da Economia nomearam 91 e 86 novos funcionários respectivamente.

 

Claramente que lido assim soa mal - que horror o novo governo anda a impingir-nos medidas e mais medidas de austeridade e depois anda a contratar 3 funcionários por dia - é o desplante.

 

Pequeno pormenor, regra geral as notícias têm mais que um simples soundbyte, além deste, existe, regra geral o corpo da notícia, ou seja a explicação e o real conteúdo da notícia, e para que os leitores estejam devidamente informados é necessário ler este mesmo corpo da notícia e porquê? Para não se indignarem e refilarem sobre o que não sabem.

 

Pegando novamente na questão anterior, na minha perspectiva e só para dar uma visão correcta da realidade, acho importante referir que estes dois Ministérios, são os Ministérios que actualmente agregam, no primeiro caso, o anteriores ministérios da Agricultura com o do Ambiente e, no segundo, os antigos Ministérios da Economia, das Obras Públicas e do Trabalho. 

 

E que ainda assim os gabinetes de Assunção Cristas e Álvaro Santos Pereira conseguiram reduzir o seu pessoal em 118 pessoas, poupando 300 mil euros por mês em salários em relação ao anterior governo, o que representa menos quatro milhões de euros por ano gastos em salários nestes gabinetes.

 

Noutros Ministérios, como é o caso da Defesa, Administração Interna, Assuntos Parlamentares, Economia, Agricultura, Saúde, Educação, Cultura e, também, na Secretaria de Estado do Adjunto do Primeiro-Ministro, foram reduzidos 274 postos de trabalho, o que representa menos cerca de 740 mil euros por mês - que no final do ano diminui "a conta" em cerca de 10 milhões de euros em salários.

 

Bem, que escândalo de nomeações, realmente, não sei como tiveram a ousadia de diminuir os gastos de salários em 10 milhões.

 

Não sei se o mais tudo giro de isto é constatar que as pessoas não leêm as notícias ou verificar que o PS - que enfim, é o PS - acusa o governo de criar lugares para os boys. 

 

A sério tem a sua piada, é giro, dá vontade de rir. É a política, estúpida.

publicado às 10:52

Só uma ideia

por Ana Firmo Ferreira, em 15.11.11

 

"O presidente do governo regional da Madeira, Alberto João Jardim, vai abordar hoje com o primeiro-ministro, Pedro Passos Coelho, as condições do plano de resgate financeiro num montante superior a seis mil milhões de euros."

 

Não lhes podemos dar só a indepêndencia? Ou vamos ter mais do mesmo? - os Portugueses a apararem os golpes deste ser.

publicado às 11:24

Milhares de postos de trabalho à espera de serem criados

por Samuel de Paiva Pires, em 24.02.09

 

(imagem do quadro "Origem do Mundo" de Courbet tirada daqui)

 

A PSP de Braga apreendeu hoje numa feira de livros de saldo alguns exemplares de um livro sobre pintura. A polícia considerou que o quadro do pintor Gustave Courbet, reproduzido nas capas dos exemplares, era pornográfico, adiantou uma fonte da empresa livreira.

António Lopes disse que os três agentes policiais elaboraram um auto no qual afirmam terem apreendido os livros por terem imagens pornográficas expostas publicamente.

O quadro do pintor oitocentista - tido como fundador do realismo em pintura - expõe as coxas e o sexo de uma mulher, sendo, por isso, a sua obra mais conhecida. Pintado em 1866, está exposto no Museu D'Orsay em Paris.

 

Ora então creio que deviam criar milhares de postos de trabalho para efectuar aquilo que acabo de ouvir Mário Crespo na SIC Notícias definir como "apreensão cautelar". É que há para aí revistas espalhadas em papelarias, quiosques e afins com imagens de sexo explícito à vista de qualquer pessoa. É apreendê-las todas!

 

Ler ainda João Paulo Sousa no Da Literatura.

publicado às 21:47

A respeito da situação na R.A. da Madeira

por Samuel de Paiva Pires, em 07.11.08

Uma só palavra: palhaçada. A do deputado do PND, a do PSD, a de todos os envolvidos. Não há melhor palavra para o descrever, simplesmente: PALHAÇADA.

 

E não há paciência para escrever sobre palhaçadas...

publicado às 15:10

Palhaçada (2)

por Samuel de Paiva Pires, em 10.07.08

Debates na Assembleia da República. Meia dúzia de bobos falantes e uma ou duas centenas de espectadores ignorantes que aplaudem. É o autismo, o crescente autismo político das élites do regime.

publicado às 16:56

Palhaçada

por Samuel de Paiva Pires, em 10.07.08

A entrevista de Medina Carreira no telejornal da SIC fica marcada por um alegado pessimismo, como lhe chamou o jornalista que ia conduzindo a mesma (não me recordo do nome), a que eu prefiro chamar de realismo. Quanto ao essencial a reter fica a afirmação de que andamos num circo e que isto é tudo uma palhaçada. Não poderia estar mais de acordo, parecendo até que me estava a ouvir a mim próprio a falar com familiares e amigos nos últimos tempos, quando na falta de melhores palavras recorro frequentemente à classificação de "palhaçada".

publicado às 00:56






Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2015
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2014
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2013
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2012
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2011
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2010
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2009
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2008
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D
  170. 2007
  171. J
  172. F
  173. M
  174. A
  175. M
  176. J
  177. J
  178. A
  179. S
  180. O
  181. N
  182. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas