Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Vais querer a opção Vegan?

por John Wolf, em 19.06.18

35671757_436786923451158_8982717464412422144_n.jpg

 

O Bloco de Esquerda é  accionista maioritário da empresa do preconceito em Portugal. Destaca diversos espaços de regalia paradoxal e do efémero do absurdo. Contribui para a anormalidade ao sublinhar a etnicidade sociológica da homo-diversidade, e eterniza uma certa noção de pseudo-provincianismo - oferece conceitos e definições exactas, absolutas. Temos a barraca Queer ou a tenda Feminista. Temos o Boicote a Israel e a celebração da Palestina. E temos a opção Vegan. São compartimentalizações sectárias desta índole que confirmam os nossos piores receios. O homem não é livre. Leva um rótulo na testa e um pontapé no traseiro se optar por planos que faltam gizar. Daqui a 100 anos quando arqueólogos políticos esbarrarem com os panfletos e a propaganda, os mesmos terão sido comidos pelo bicho da intransigência autofágica. Que tristeza de festa.

 

Screen Shot 2018-06-19 at 19.14.12.png

 

publicado às 19:15


3 comentários

Sem imagem de perfil

De Weltenbummler a 19.06.2018 às 22:50




Os seres humanos dispõem de dentes caninos, usados pelos animais carnívoros para rasgar a carne das presas. Os molares pressupõem emprego para moerem alimentos vegetais que necessitam ser finamente esmagados para facilitar a acção da saliva e suco gástrico.


O estudo dos coprólitos, dejectos humanos petrificados, permitiram determinar a alimentação dos antepassados dos períodos Paleolítico, com predominância da caça, pesca e recolha de frutos, e do Neolítico, em que abundam cereais e produtos provenientes de animais domésticos, como, carne, leite e queijo. A identificação de resíduos de ossos e de pólenes nas camadas arqueológicas estabeleceram os organismos de origem. Por estas razões, há escolas que consideram que o organismo humano não estava preparado para a digestão de alimentos resultantes da descoberta da agricultura e sedentarização dos grupos humanos, qualquer que tenha sido a sua localização geográfica
só a carne tem ácidos aminados essenciais
Sem imagem de perfil

De Anónimo a 19.06.2018 às 23:10

Responderia N-Ã-O às três questões. 
Sem imagem de perfil

De Jorge a 17.07.2018 às 17:51


Há quem seja Vegan. Ponto.


A partir desse facto, que é um facto, quer o autor deste blog goste, quer não, um organizador de eventos, sejam musicais ou políticos, vai querer conhecer melhor quem neles participa, para melhor os poder servir. Isto é "Management 101".


Servindo comida, convém saber as preferências, e a frequência de cada uma, estatisticamente falando.


Pessoalmente acho a moda "Vegan" a coisa mais ridícula que já ouvi em temros alimentares, mas ao contrário do autor deste blog, respeito as opções de cada um.


Num Mundo a caminho do precipício do Aquecimento Global, diminuir a ingestão de carnes vermelhas é uma das necessidades da humanidade. Repare: NECESSIDADES. Não é opção. Ao contrário do radicalismo "Vegan", o Vegetarianismo é mesmo algo que temos todos de promover, ou tornando-nos completamente vegetarianos, ou fazendo refeições vegetarianas mais vezes, para não consumirmos tanta carne.


Porquê? Porque um dos gases que mais causam aquecimento global vem dos intestinos dos animais que comemos, criados em autênticas fábricas com linhas de montagem, onde um bife que nos chega à mesa, pode vir de um animal que nunca viu a luz do dia, mas cujos escrementos (gases com efeito de estufa) nos vão prejudicar durante décadas!


Ao questionário do BE para este evento, eu teria prioridade em colocar a questão: "Vai querer refeições vegetarianas?". Eu responderia "Não", porque ainda não consegui pôr o meu egoísmo de parte, mas respeito quem já o fez.


Por falar nisso, o PAN fez a proposta de ter nas escolas um menu com a opção vegetariana, e fez muito bem. Se estivéssemos à espera dos tacanhos conservadores dos partidos da negociata e da mama do costume, nem daqui a 100 anos isso aconteceria. O PS e PSD (e CDS), no que diz respeito às refeições nas escolas, só conseguiram servir "Salada com Minhoca" numa porção de "comer e continuar com fome", pois diz que a austeridade made in "regras" dos estúpidos e radicais EURO-peístas, é que é uma coisa boa...

Comentar post







Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2015
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2014
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2013
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2012
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2011
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2010
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2009
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D
  144. 2008
  145. J
  146. F
  147. M
  148. A
  149. M
  150. J
  151. J
  152. A
  153. S
  154. O
  155. N
  156. D
  157. 2007
  158. J
  159. F
  160. M
  161. A
  162. M
  163. J
  164. J
  165. A
  166. S
  167. O
  168. N
  169. D

Links

Estados protegidos

  •  
  • Estados amigos

  •  
  • Estados soberanos

  •  
  • Estados soberanos de outras línguas

  •  
  • Monarquia

  •  
  • Monarquia em outras línguas

  •  
  • Think tanks e organizações nacionais

  •  
  • Think tanks e organizações estrangeiros

  •  
  • Informação nacional

  •  
  • Informação internacional

  •  
  • Revistas